sicnot

Perfil

Crise Migratória na Europa

Merkel diz que atual crise migratória vai mudar a Europa a longo prazo

Merkel diz que atual crise migratória vai mudar a Europa a longo prazo

A chanceler alemã diz que a atual crise dos refugiados vai mudar o futuro da Europa e que é precisa uma efetiva política de repatriamento para quem não tem direito à proteção como refugiado, que exige o apoio de fora da Europa, dos Estados Unidos, da Rússia e dos países do Médio Oriente.

"Nós demos um primeiro passo, mas estamos ainda muito longe do que precisamos alcançar", disse Angela Merkel perante a camara baixa do Parlamento, um dia depois da reunião extraordinária da União Europeia sobre este tema, defendendo um "processo duradouro na distribuição dos refugiados nos Estados-membros"

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou quarta-feira que os líderes da União Europeia (UE) vão ampliar a ajuda aos países vizinhos da Síria e mobilizar mil milhões de euros para as organizações que ajudam os refugiados.

"Vamos poder mobilizar 1.000 milhões de euros adicionais para ajudar os refugiados através do Programa Alimentar Mundial e do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados", disse Tusk, numa conferência de imprensa no final da cimeira extraordinária de chefes de Estado e de Governo, que decorreu quarta-feira.

"Vamos aumentar a ajuda ao Líbano, Jordânia, Turquia e outros países da região", declarou.

O presidente do Conselho Europeu adiantou que os centros de registo de refugiados e migrantes vão estar a funcionar "até ao fim de novembro".

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.