sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Invasão de imigrantes interrompe tráfego no Canal da Mancha

O tráfego no túnel da Mancha, perto de Calais, no norte de França, foi interrompido esta noite, devido à invasão coletiva de uma centena de imigrantes, que forçou a sua entrada no local. Entretanto, segundo o Eurotunnel, a circulação foi reposta já de manhã.

YOAN VALAT

"Por volta das 00:30 (23:30 de sexta-feira em Lisboa) cem imigrantes forçaram a sua passagem atravessando as cercas de segurança. Tivemos de suspender o serviço", disse à AFP um porta-voz do grupo Eurotunnel, indicando que a polícia estava no local.

Dez feridos ligeiros, incluindo sete imigrantes, foram transportados em ambulâncias enviadas para o local, disse um responsável dos bombeiros.

Um porta-voz da Eurotunnel, por sua vez, afirmou tratar-se de "uma invasão de um grupo muito grande e coordenado de imigrantes", em declarações à Sky News, citadas pela agência espanhola EFE.

"Chegaram juntos, bem organizados, passaram as cercas e todos sabiam para onde se dirigiam", acrescentou.

Os serviços de passageiros e de carga entre Folkestone (Reino Unido) e o porto francês de Calais (norte de França) foram suspensos "até novo aviso", devido a "motivos de segurança", segundo a empresa.

As autoridades britânicas e francesas estavam a trabalhar em conjunto.

O túnel, que tem 650 hectares e cerca de 20 quilómetros, tem sido durante o verão alvo de muitas tentativas de invasão, geralmente à noite.

O número de tentativas subiu até às 1.700 no início de agosto. Entretanto, foi reforçada a segurança no local, com novas barreiras, reforço das equipas e cães farejadores.

O número de tentativas tem vindo a estabilizar em cerca de 100 por noite, de acordo com várias fontes policiais.

Desde 26 de junho morreram 13 imigrantes ao tentarem passar o canal da Mancha para chegarem à Grã-Bretanha, que consideram um 'Eldorado'.

Cerca de 4.000 migrantes, vindos principalmente do leste de África, do Afeganistão e da Síria, encontram-se na região de Calais.

A 20 de agosto foi anunciado que o governo britânico vai destinar dez milhões de euros, em dois anos, para acelerar pedidos de asilo e aumentar a ajuda humanitária aos migrantes e refugiados em Calais, no âmbito de um acordo franco-britânico, que prevê o reforço da cooperação policial contra as redes de imigração clandestina.

O Reino Unido deverá conceder "meios suplementares" para garantir a segurança nos acessos ao túnel sob o canal da Mancha, gerido pela Eurotunnel, indica o acordo.

Os dois países vão também criar um "comando unificado", para lutar contra as redes de imigração clandestina, e uma "equipa conjunta" para aumentar o afastamento dos migrantes ilegais.

Com Lusa