sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

SEF pede para que não se façam viagens particulares para trazer refugiados

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) apelou hoje para que não se façam deslocações a países europeus, designadamente da Europa Central, com vista a transportar para Portugal cidadãos estrangeiros candidatos ao estatuto de refugiados.

"O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras apela a que não haja deslocações a outros países europeus, designadamente da Europa Central, mesmo que imbuídas de altruísmo, para transportar para Portugal cidadãos estrangeiros candidatos a um eventual estatuto de refugiados", lê-se num comunicado do SEF.

No documento, o SEF alerta para o facto de esse tipo de auxílio, "ainda que aparentemente meritório do ponto de vista social", poder conduzir a resultados "não desejados", nomeadamente por poder violar normas comunitárias e /ou dos Estados-membros relativas à prática de crime de auxílio à imigração ilegal, por favorecerem e facilitarem a entrada, permanência ou trânsito ilegal de cidadãos estrangeiros, totalmente indocumentados, completamente à margem do previsto na União Europeia.

Segundo o serviço de controlo de estrangeiros e fronteiras, "todos os dias" têm sido detidas em vários Estados-membros "dezenas de pessoas" por suspeitas da prática desse crime, punível nos vários ordenamentos jurídicos europeus.

O SEF lembra que está a decorrer um processo conduzido pela Comissão Europeia através do qual Portugal receberá alguns milhares de refugiados e que foi criado um grupo de trabalho vocacionado para preparar o acolhimento de quem vem.

E sublinha que quem pretender ajudar os refugiados poderá disponibilizar auxílio à equipa multidisciplinar já que estará a prestar apoio concreto sem correr riscos associados à deslocação de pessoas para outros países ou a transportar pessoas por sua conta e risco.

Lusa

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05