sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Alemanha contabiliza 577.307 requerentes de asilo entre janeiro e setembro

A Alemanha registou 577.307 novos pedidos de asilo nos primeiros nove meses deste ano, informou hoje o Ministério do Interior alemão, acrescentando que mais de um terço dos novos requerentes é proveniente da Síria.

Muhammed Muheisen

O ministério esclareceu que este número poderá estar sujeito a alterações, devido a possíveis erros ou omissões. Segundo as autoridades alemãs, alguns migrantes não concluem o processo de requerimento, enquanto outros fornecem informações incorretas.

Mesmo assim, este número representa mais do dobro das 200 mil chegadas que foram contabilizadas em 2014.

Só no último mês de setembro, as autoridades alemãs registaram 163.772 pedidos de asilo, dos quais 85.455 foram de migrantes oriundos da Síria, 19.192 de migrantes iraquianos e 18.387 de afegãos.

A Alemanha - um dos destinos preferenciais da atual vaga de migração -- espera receber este ano entre 800 mil a um milhão de novos pedidos de asilo.

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje no Parlamento Europeu, em Estrasburgo (França), que a União Europeia (UE) necessita de novas regras para lidar com os pedidos de asilo, pois as atuais estão "obsoletas".

"Sejamos francos, a convenção de Dublin, na sua forma atual, é obsoleta", disse a líder alemã, referindo-se ao atual quadro legal europeu que regulamenta os pedidos de asilo, que estipula que os refugiados devem solicitá-lo no Estado-membro da UE ao qual chegam.

Segundo Merkel, o sistema era "bem intencionado", mas revelou-se insustentável, razão pela qual, defendeu, é necessário "um novo regulamento" que garanta "uma repartição justa e solidária" dos refugiados que solicitam asilo, entre todos os Estados-membros da União.

Lusa

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Erdogan apela ao reconhecimento de Jerusalém Oriental como capital
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28