sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Alemanha contabiliza 577.307 requerentes de asilo entre janeiro e setembro

A Alemanha registou 577.307 novos pedidos de asilo nos primeiros nove meses deste ano, informou hoje o Ministério do Interior alemão, acrescentando que mais de um terço dos novos requerentes é proveniente da Síria.

Muhammed Muheisen

O ministério esclareceu que este número poderá estar sujeito a alterações, devido a possíveis erros ou omissões. Segundo as autoridades alemãs, alguns migrantes não concluem o processo de requerimento, enquanto outros fornecem informações incorretas.

Mesmo assim, este número representa mais do dobro das 200 mil chegadas que foram contabilizadas em 2014.

Só no último mês de setembro, as autoridades alemãs registaram 163.772 pedidos de asilo, dos quais 85.455 foram de migrantes oriundos da Síria, 19.192 de migrantes iraquianos e 18.387 de afegãos.

A Alemanha - um dos destinos preferenciais da atual vaga de migração -- espera receber este ano entre 800 mil a um milhão de novos pedidos de asilo.

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje no Parlamento Europeu, em Estrasburgo (França), que a União Europeia (UE) necessita de novas regras para lidar com os pedidos de asilo, pois as atuais estão "obsoletas".

"Sejamos francos, a convenção de Dublin, na sua forma atual, é obsoleta", disse a líder alemã, referindo-se ao atual quadro legal europeu que regulamenta os pedidos de asilo, que estipula que os refugiados devem solicitá-lo no Estado-membro da UE ao qual chegam.

Segundo Merkel, o sistema era "bem intencionado", mas revelou-se insustentável, razão pela qual, defendeu, é necessário "um novo regulamento" que garanta "uma repartição justa e solidária" dos refugiados que solicitam asilo, entre todos os Estados-membros da União.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.