sicnot

Perfil

Crise Migratória na Europa

Candidatura da Austrália ao ACNUR ensombrada por escândalo

Candidatura da Austrália ao ACNUR ensombrada por escândalo

A Austrália tenta integrar o ACNUR, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, mas a candidatura está a ser ensombrada por mais um escândalo de abusos sexuais dentro dos centro de refugiados nas Ilhas do Pacífico, para onde são enviados os migrantes que tentam entrar em território australiano.

Desta vez, uma uma migrante somali de 23 anos garante ter sido violada em julho no centro de Nauru, onde terá pedido para interromper a gravidez. Na semana passada, chegou a ser transferida para Sidnei para fazer o aborto, mas à última hora ter-se-á arrependido e recusado a intervenção - segundo as autoridades australianas.

O caso que está a chocar o país levou centenas de pessoas às ruas da capital em protesto contra a política de migração do Governo australiano e os centros de detenção nas ilhas do Pacífico.

A tensão subiu depois de vários relatórios das Nações Unidas denunciarem uma série de abusos sistémicos nos centros de detenção de migrantes, isto enquanto o país tenta, pela primeira vez, integrar o Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados para um mandato de dois anos, de 2018 a 2020.

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.