sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Noruega trava entrada de sírios que já tenham autorização para ficar na Rússia

A Noruega vai começar a devolver à Rússia os pedidos de asilo de estrangeiros, principalmente sírios, que já têm uma autorização de residência naquele país e querem entrar no país nórdico, anunciou o governo norueguês.

Reuters

Reuters

© Norsk Telegrambyra AS / Reute

De acordo com a polícia norueguesa, cerca de 1600 pessoas entraram no reino escandinavo desde o início do ano através da fronteira com a Rússia, no Ártico, uma rota menos perigosa do que através do Mediterrâneo.

Cerca de três quartos destes requerentes de asilo são sírios que dizem estar a fugir ao conflito no seu país, mas entre 20 a 30% destas pessoas já tinham uma autorização de residência ou um visto para viverem na Rússia.

Citando um acordo assinado com Moscovo em 2007, o ministro da Justiça, Anders Anundsen, anunciou hoje que ordenou às autoridades da imigração para darem prioridade aos pedidos de requerentes de asilo com dupla nacionalidade, uma autorização de residência ou um visto russo.

As pessoas que não precisam de proteção podem rapidamente regressar à Rússia, mesmo sem uma revisão dos seus pedidos de asilo, de acordo com uma circular que pretende travar a entrada de estrangeiros que já estejam legalmente na Rússia.

A maioria dos sírios que pedem asilo à Noruega apanham um avião em Beirute, que os leva até Moscovo, mas que permite a passagem até Mourmansk, no noroeste da Rússia, perto da fronteira com a Noruega, evitando assim os perigos da travessia por Mediterrâneo, mas obrigando a uma viagem mas longa a pé e já com temperaturas perto do zero.

No total, a Noruega espera receber até 25 mil requerentes de asilo este ano, principalmente através da Suécia.

Lusa

  • Desespero e euforia marcaram o 8.º dia de Mundial
    0:50
  • Comprava uma bola de futebol com 9 mil cristais Swarovski?
    2:51
  • Lisboa vence prémio Capital Europeia Verde de 2020

    País

    A cidade de Lisboa venceu o prémio de Capital Europeia Verde de 2020, anunciou o comissário da União Europeia para o Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, numa cerimónia que decorreu em Nijmegen, na Holanda.

  • Trump culpa democratas pela separação de pais e filhos
    0:22