sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Comissão Europeia convoca minicimeira UE-Balcãs para domingo

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, convocou os líderes dos países-membros do sudeste dos Balcãs para uma minicimeira no domingo em Bruxelas, alargada à Sérvia e Macedónia e destinada a abordar a crise dos refugiados.

(Arquivo)

(Arquivo)

© STR New / Reuters

"Após garantir apoios, decidi reunir no domingo em Bruxelas um certo número de chefes de Estado e de governos (dos países) que se estendem pela estrada dos Balcãs, que se tornou num caminho dramático", anunciou hoje no decurso de uma deslocação a Madrid.

Para além dos dirigentes da Macedónia e da Sérvia, foram convocados os chefes de Estado e de governo da Áustria, Bulgária, Croácia, Alemanha, Grécia, Hungria, Roménia e Eslovénia, países particularmente atingidos pela crescente vaga de refugiados.

Na terça-feira a União Europeia (UE) apelou para ajuda à Eslovénia, que após a instalação de barreiras anti-imigrantes pela Hungria se tornou, com a Sérvia e a Croácia, um dos principais países de trânsito dos migrantes que tentam alcançar o norte da Europa.

A Comissão Europeia tinha anunciado previamente em comunicado a minicimeira, sublinhando a "necessidade de uma maior cooperação, de consultas mais intensas e de ações operacionais imediatas" para os países situados na rota dos Balcãs.

"Não choro com frequência, mas quando vejo todas as noites este longo cortejo de refugiados lembro-me das imagens do final da Segunda Guerra Mundial (...) acontece que quase choro", disse Juncker.

"Sei que não podemos acolher no nosso território toda a miséria do mundo, mas podemos pelo menos olhar para a miséria do mundo antes de agir", acrescentou.

"Não gosto dessa Europa que 'olha para o umbigo', que se fecha às esperanças e às expetativas dos outros", assegurou. "Gosto da Europa onde centenas de milhares de voluntários vêm prestar assistência, apoiar os refugiados".

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, em geral responsável pela convocação de cimeiras europeias, saudou a organização da minicimeira "para abordar os problemas operacionais urgentes na região, em conformidade com as orientações políticas decididas" na última cimeira europeia de 15 de outubro.

No entanto, Tusk não precisou se participaria na reunião de domingo em Bruxelas com os países dos Balcãs.

A UE, confrontada com a pior crise migratória desde o final da Segunda Guerra mundial, permanece dividida sobre a forma de responder ao fluxo de refugiados.

O Luxemburgo, que assegura a presidência rotativa da UE, o Alto Comissario da ONU para os Refugiados, António Guterres, a Agência europeia de vigilância das fronteiras (Frontex) e a Agência europeia para o asilo (EASO) foram igualmente convidadas a participar na minicimeira que se iniciará no domingo às 16.00 locais (15:00 em Lisboa).

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os discursos de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa estiveram no Jornal da Noite da SIC, onde analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O Diretor de Informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida