sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Juncker e chanceler austríaco dizem que as cercas não são bem vindas na UE

O presidente da Comissão Europeia e o chanceler austríaco avisaram hoje que as cercas não são bem vindas à União Europeia, depois de Viena sugerir uma barreira nas suas fronteiras com a Eslovénia para controlar a chegada de migrantes.

© Stoyan Nenov / Reuters

Jean-Claude Juncker e Werner Faymann "repetiram a posição comum de que as cercas não têm lugar na Europa", refere uma declaração dos dois, depois de os responsáveis políticos terem falado ao telefone sobre os últimos acontecimentos na crise dos refugiados.

A Áustria e a Eslovénia tornaram-se pontos-chave na deslocação de milhares de refugiados e migrantes que procuram chegar ao norte da Europa antes do inverno.

O ministro do Interior alemão, Thomas Maizière, acusou hoje a Áustria de enviar milhares de migrantes para a Alemanha sem informar Berlim, referindo ser um comportamento "incorreto" das autoridades austríacas e que deve mudar "imediatamente".

"O comportamento da Áustria nos últimos dias não está a ser correto (...). Nós reclamamos que os refugiados, sem aviso prévio, são conduzidos depois de cair a noite a diferentes lugares e chegam à fronteira alemã sem qualquer preparação ou medida de precaução", disse o ministro à imprensa.

A Baviera, região de fronteira com a Áustria por onde passam a maior parte dos migrantes que desejam chegar à Alemanha, tem acusado Viena, nos últimos dias, de levar sem aviso milhares de pessoas para a fronteira, onde a polícia se encontra sobrecarregada.

A Áustria, que vê o fluxo de milhares de migrantes chegar aos seus território depois de passar pelos Balcãs, disse que as autoridades bávaras limitam o acesso à Alemanha sem ter em conta as necessidades dos austríacos.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • O mapa das vítimas dos incêndios
    1:19

    País

    Aumentou para 37 o número de mortes na sequência dos fogos que assolaram a zona Centro do país desde o fim de semana. Feridos são pelo menos 71. Atualizamos aqui o mapa, segundo o último balanço da Proteção Civil.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Homem morreu ao tentar salvar animais das chamas
    2:30
  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06