sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sete mortos e vários desaparecidos em naufrágio em Lesbos

O afundamento de quatro embarcações ao largo da ilha de Lesbos, entre a Turquia e a Grécia, ocorrido hoje, causou a morte a pelo menos sete pessoas, entre as quais cinco crianças, e um número indeterminado de desaparecidos.

© Giorgos Moutafis / Reuters

Os guarda-costas gregos, que deram a notícia, adiantaram que durante a noite foram salvas 214 pessoas, muitas sofrendo de hipotermia, depois do naufrágio de um barco de madeira, ao largo da costa norte de Lesbos, principal porta de entrada de migrantes na Europa, no Egeu Oriental.

Também durante a noite foram encontrados mortos um homem e duas crianças, com as buscas a serem feitas por barcos-patrulha gregos, um helicóptero, numerosos pescadores e inclusive habitantes da ilha, dotados de 'jets skis'.

"A situação é muito confusa. À partida, os salvados mencionavam uma centena de pessoas, mas socorremos 241 e ignoramos quantos estavam a bordo", indicou uma porta-voz da polícia portuária.

Os dramas de hoje elevam para 36 o número de migrantes encontrados mortos nas águas gregas desde 01 de outubro, segundo um recenseamento da AFP, com base em dados fornecidos pela polícia portuária grega.

Desde o início do ano, 560 mil migrantes e refugiados chegaram à Grécia por mar, num total de 700 mil que entraram na Europa através do Mediterrâneo, segundo a Organização Internacional das Migrações (OIM).

Nestas travessias, segundo a OIM, morreram mais de 3.200 pessoas, na sua maioria crianças.

Lusa

  • O último adeus às vítimas da tragédia de Vila Nova da Rainha
    1:37

    País

    As cerimónias fúnebres das oito vítimas mortais do incêndio na Associação de Vila Nova da Rainha realizaram-se esta terça-feira. Três delas ocorreram em simultâneo na povoação do concelho de Tondela que, no passado sábado, viu a tragédia bater-lhe à porta.

  • Fóssil humano mais antigo encontrado em Portugal entregue ao Museu de Arqueologia
    3:42

    País

    O mais antigo fóssil humano até hoje encontrado em Portugal, o "Crânio da Aroeira", foi entregue no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. Em 2014, o fóssil foi encontrado pela equipa do arqueólogo João Zilhão perto de Torres Novas e foi restaurado e estudado na Universidade Complutense de Madrid, durante dois anos e meio.

  • De "lambe rabos" a "labrego", a polémica entre Rodolfo Reis e Bruno de Carvalho
    1:30
  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14
  • Ambientalistas consideram insuficiente estratégia de Bruxelas para reduzir plástico
    2:07