sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Confrontos entre migrantes e polícia francesa após reforço da segurança em Calais

A polícia francesa e um grupo de migrantes entraram hoje em confrontos próximo do porto de Calais (norte de França), o que levou o presidente da camada local a apelar ao "desmantelamento imediato" do campo de refugiados aí existente.

© Philippe Wojazer / Reuters

Segundo a agência France Presse, os confrontos começaram quando a polícia estava a efetuar procedimentos de controlo no campo de Teteghem, próximo de Calais, depois de indicações de que o centro estaria a ser controlado por uma rede de tráfico de pessoas.

Desconhece-se, para já, se há feridos.

O presidente da Câmara de Tataghem, Frank Dhersin, descreveu o centro de refugiados como uma "zona sem lei".

"Dei ordens para o desmantelamento imediato do campo, se necessário, pela força. O centro tem estado desde sempre nas mãos dos traficantes. É uma máfia que funciona como um gangue de tráfico de droga", disse Dhersin.

O edil de Teteghem referiu que as autoridades policiais francesas têm detido alguns traficantes na região, mas apenas "arraia-miúda", e acusou o Governo britânico de não conseguir deter os "chefes da máfia" que, assegurou, estão no Reino Unido.

O centro de refugiados de Teteghem alberga atualmente cerca de 250 migrantes, na sua maioria sírios, iraquianos, iranianos e vietnamitas, e acolhe os refugiados mais abastados, capazes de pagar milhares de euros para serem transportados, através do Canal da Mancha, para o Reino Unido.

Cerca de 6.000 outros refugiados estão reunidos noutro centro a poucos quilómetros, no campo "New Jungle" (Nova Selva), em Calais, ainda à espera de encontrar forma de seguirem pelo túnel de carro, comboio ou barco.

Hoje, o ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, reivindicou que as medidas de reforço da segurança introduzidas na semana passada na região de Calais, que incluiu o envio de uma força adicional de 400 polícias, já começaram a dar fruto.

Cazeneuve sustentou que nenhum migrante consegue atravessar o Canal da Mancha desde domingo e que as tentativas diárias para o fazer baixaram de cerca de 1.300 para pouco mais de 240.

Com cerca de 1.125 polícias na região, Cazeneuve referiu que o forte dispositivo de segurança na região está a permitir "enviar uma mensagem" aos traficantes de pessoas.

Paralelamente, duas agências não-governamentais pediram hoje assistência humanitária de emergência para os emigrantes concentrados no campo "New Jungle", que incluem também o reforço de água potável e de serviços sanitários.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.