sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sérvia duplica número de acolhimentos de refugiados

A Sérvia comprometeu-se a receber mais três mil refugiados, subindo para seis mil o número de acolhimentos, enquanto a Croácia projeta receber cinco mil pessoas, segundo o último balanço da gestão da crise de migrantes na rota dos Balcãs.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

Reuters

Após uma reunião na quarta-feira, a Comissão Europeia informou hoje sobre o anúncio da Sérvia em duplicar o número de lugares de acolhimento, depois de na semana passada, se ter comprometido com três mil.

A Croácia planeia disponibilizar cinco mil lugares e a Eslovénia reafirmou que irá projetar dois mil, enquanto a Áustria indicou estar a desenvolver trabalho e discussões para aumentar a sua capacidade de receção.

Na atualização de informações, o Governo grego referiu "estar bem encaminhado" o processo de acolhimento, até final do ano, de mais 50 mil pessoas.

Na sequência de um compromisso assumido numa minicimeira em Bruxelas, em outubro, outras 50 mil pessoas irão usufruir de proteção ao longo da rota de migração dos Balcãs.

Membros da Comissão Europeia vão visitar as capitais nacionais na próxima semana para discutir as necessidades e a assistência financeira para prosseguir as operações de acolhimento.

A deslocação a Zagreb está prevista para sexta-feira e a Ljubljana para segunda-feira.

Sobre os 400 guardas de outros Estados-membros a serem deslocados para a Eslovénia, no âmbito da gestão de fronteiras, Bruxelas informou terem viajado 33 e que se espera que 250 estejam no terreno a meio de novembro.

A 26 de outubro, líderes da União Europeia e de países dos Balcãs Ocidentais comprometeram-se, em Bruxelas, a reforçar a capacidade de acolhimento de refugiados, com a criação de mais 100 mil lugares, dos quais metade na Grécia.

A minicimeira, convocada pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, contou com a presença de dirigentes da Áustria, Bulgária, Croácia, Alemanha, Grécia, Hungria, Roménia, Eslovénia e ainda da Antiga República Jugoslava da Macedónia, Albânia e da Sérvia, países que não são membros da União Europeia.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.