sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Primeira família de refugiados em Fafe vai ser alojada em apartamento na cidade

Uma família de refugiados constituída por dois adultos e duas crianças vai ser alojada num apartamento no centro da cidade de Fafe, disponibilizado pela câmara local, avançou hoje à Lusa o presidente do município.

Lusa

Lusa

Pedro Nunes

Segundo Raul Cunha, está tudo a ser preparado para criar as melhores condições de acolhimento e integração, por um período de dois anos.

"São seres humanos como nós e por isso merecem todo o nosso apoio", destacou.

Um protocolo nesse sentido foi hoje assinado no Porto entre três câmaras municipais e a Plataforma de Apoio aos Refugiados, no âmbito do projeto "PAR Famílias". Além de Fafe, também Resende e Góis assinaram o documento.

No caso de Fafe, segundo o autarca, este é "o pontapé de saída" de um processo que deverá ser alargado a mais famílias.

"Queremos dar o exemplo e esperamos que outras instituições do concelho o possam seguir", frisou, recordando haver juntas de freguesia que têm espaços de acolhimento disponíveis.

Do lado da Câmara, acrescentou Raul Cunha, poderá ainda haver disponibilidade para alojar uma segunda família, embora mais pequena.

Quanto à primeira família, previu, tudo vai ser feito para que a integração decorra com normalidades, disponibilizando apoios na alimentação, vestuário, educação, saúde, integração laboral e aprendizagem da língua portuguesa.

O apartamento deverá ser mobilado e equipado com o apoio do comércio local, prevê o edil.

Não está ainda definido o calendário da chegada dos primeiros refugiados a Fafe, nem a família em concreto, acrescentou.

A recetividade de Fafe para acolhimento dos refugiados foi anunciada há vários meses pela autarquia local. O presidente recordou então à Lusa que a localidade tem tradição, como "terra ligada às causas da justiça e dos valores".

Em abril, no segundo encontro internacional "Terra Justa", que vai decorrer naquela cidade, o tema "refugiados" estará no centro dos trabalhos.

Lusa