sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

ONU apela aos países que mantenham promessas de acolhimento de refugiados

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) pediu hoje aos Estados que mantenham as promessas feitas de acolhimento de migrantes e refugiados, sobretudo dos sírios que chegam à Grécia, na sequência dos atentados de Paris.

© Khalil Ashawi / Reuters

"Estamos preocupados com as reações de alguns Estados que querem suspender os programas criados, recuar nas promessas feitas para gerir a crise dos refugiados, ou propõem erguer barreiras", declarou uma porta-voz do ACNUR, Melissa Fleming, durante um encontro com a imprensa.

"Os refugiados não devem ser bodes expiatórios ou vítimas secundárias destes acontecimentos trágicos", acrescentou.

O apelo surge depois do parlamento húngaro ter dado hoje "luz verde" ao primeiro-ministro Viktor Orban para avançar com uma ação na justiça contra as quotas de repartição de refugiados entre os Estados-membros, decididas pela UE.

A Hungria, que mantém uma posição inflexível contra os migrantes, ergueu uma barreira de arame farpado nas fronteiras com a Sérvia e a Croácia, e é um dos principais opositores do plano de repartição de 160 mil refugiados, decidido pela UE neste outono.

Em França, a líder da Frente Nacional (FN, xenófobo), Marine Le Pen, defendeu a "suspensão imediata" de novas chegadas, enquanto na Alemanha, o movimento PEGIDA (xenófobo) juntou milhares de apoiantes na última manifestação anti-islão.

Até à passada quinta-feira, menos de 150 refugiados tinham sido efetivamente recolocados, a partir dos pontos de chegada na Itália e na Grécia, em outros países europeus.

De acordo com o ACNUR, 820.318 migrantes e refugiados atravessaram o mar Mediterrâneo com destino à Europa este ano.

Uma grande maioria - perto de 674 mil - passou pela Grécia e pelas ilhas do mar Egeu e 3.470 morreram ou estão desaparecidos, na pior crise migratória na Europa desde 1945.

"A esmagadora maioria dos que chegam à Europa foge de perseguições e ameaças ligadas ao conflito", sublinhou Fleming.

A porta-voz pediu aos europeus a criação de verdadeiros centros de acolhimento - denominados "hot spots" - para os migrantes e refugiados na Grécia e não nas ilhas gregas do mar Egeu, que não têm capacidade para receber e registar corretamente tantas pessoas.

Estes centros vão permitir identificar corretamente as pessoas e garantir que não representam uma ameaça à segurança dos países de acolhimento.

Lusa

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.