sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sérvia e Macedónia filtram entrada por nacionalidades, diz ACNUR

A Sérvia e a Macedónia limitam a passagem dos migrantes no seu território em função da nacionalidade, deixando entrar apenas sírios, iraquianos e afegãos, informou hoje o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"Desde ontem (quarta-feira) à tarde, as autoridades sérvias apenas autorizam a entrada no país aos refugiados vindos do Afeganistão, Síria e Iraque", disse uma porta-voz do ACNUR, Melita Sunjic.

A vizinha Macedónia também seleciona os migrantes que chegam da Grécia, tendo criado uma lista de países cujos cidadãos não podem passar (Marrocos, Sri Lanka, Sudão, Libéria, Congo e Paquistão), adiantou.

À entrada na Sérvia, na região da localidade de Miratovac (sul), os migrantes devem apresentar os documentos de identidade ou documentos fornecidos pelas autoridades gregas ou macedónias que provem a sua identidade.

Segundo um repórter fotográfico da agência France Presse, cerca de 300 migrantes aguardavam hoje de manhã para passarem da Grécia para a Macedónia, em Gevgelija. Forças policiais estão colocadas ao longo da fronteira.

Desde o início do ano, mais de 800.000 migrantes chegaram à Europa por mar e muitos deles através dos Balcãs, na sua maioria vindos do Médio Oriente.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Cenário mais estável no Sardoal
    0:55

    País

    O presidente da Câmara do Sardoal, Miguel Borges, disse esta manhã que a situação está mais calma. No entanto, o autarca pede que não se desmobilizem os meios porque a situação pode mudar de forma imprevisivel. Miguel Borges alertou ainda para o cansaço dos bombeiros e agentes da Proteção Civil.

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.