sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sérvia e Macedónia filtram entrada por nacionalidades, diz ACNUR

A Sérvia e a Macedónia limitam a passagem dos migrantes no seu território em função da nacionalidade, deixando entrar apenas sírios, iraquianos e afegãos, informou hoje o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

© Alkis Konstantinidis / Reuter

"Desde ontem (quarta-feira) à tarde, as autoridades sérvias apenas autorizam a entrada no país aos refugiados vindos do Afeganistão, Síria e Iraque", disse uma porta-voz do ACNUR, Melita Sunjic.

A vizinha Macedónia também seleciona os migrantes que chegam da Grécia, tendo criado uma lista de países cujos cidadãos não podem passar (Marrocos, Sri Lanka, Sudão, Libéria, Congo e Paquistão), adiantou.

À entrada na Sérvia, na região da localidade de Miratovac (sul), os migrantes devem apresentar os documentos de identidade ou documentos fornecidos pelas autoridades gregas ou macedónias que provem a sua identidade.

Segundo um repórter fotográfico da agência France Presse, cerca de 300 migrantes aguardavam hoje de manhã para passarem da Grécia para a Macedónia, em Gevgelija. Forças policiais estão colocadas ao longo da fronteira.

Desde o início do ano, mais de 800.000 migrantes chegaram à Europa por mar e muitos deles através dos Balcãs, na sua maioria vindos do Médio Oriente.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC