sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 5 mil imigrantes autorizados a atravessar a fronteira greco-macedónia

Mais de 5.000 imigrantes sírios, afegãos e iraquianos foram hoje autorizados a atravessar a fronteira entre a Grécia e a Macedónia, mas cerca de mil pessoas de outras nacionalidades permanecem bloqueadas do lado grego, indicou fonte policial.

(arquivo/Reuters)

(arquivo/Reuters)

© Ognen Teofilovski / Reuters

Na quinta-feira, após a decisão da Sérvia e da Macedónia de limitar a passagem às pessoas em fuga de zonas de conflito (Síria, Iraque e Afeganistão), pelo menos 2.000 migrantes tinham ficado bloqueados no posto fronteiriço de Eidomeni, onde ninguém conseguiu atravessar a fronteira após a "filtragem" decidida por Belgrado e Skopje, acrescentou a mesma fonte policial grega citada pela agência noticiosa AFP.

Segundo o mesmo responsável, as passagens foram retomadas na noite de hoje, mas foi recusada a passagem em direção à Macedónia a cerca de um milhar de migrantes, na maioria jovens marroquinos, paquistaneses, iranianos, argelinos e do Bangladesh.

Alguns dos visados protestaram em Eidomeni e exibiram cartazes onde escreveram "Liberdade" e "Não ao racismo". "No meu país, é a ditadura. Chegámos aqui há dois dias. Não merecemos este comportamento", referiu citado pela agência AFP Amin T., um escritor iraniano.

Alguns dos migrantes sentaram-se nas linhas férreas e interromperam a circulação entre os dois países fronteiriços dos Balcãs.

O ministro grego para a Política migratória, Iannis Mouzalas, deverá deslocar-se sábado a Eidomeni para analisar a situação, segundo o seu gabinete de imprensa.

Cerca de 70% dos migrantes que chegam à fronteira greco-macedónia são sírios ou iraquianos. Segundo responsáveis de uma ONG no terreno, citados pela APF, os migrantes de outras nacionalidades destroem por vezes os seus papéis e solicitam às autoridades gregas novos documentos fornecendo falsos elementos de identidade.

A polícia macedónia, que confirmou a abertura da fronteira na manhã de hoje, também reenviou para o lado grego diversos migrantes considerados "indesejáveis" e que tinham conseguido atravessar a linha fronteiriça.

Diversos media também se referiram à possibilidade de o lado macedónio estar a preparar uma barreira de proteção no seu lado da fronteira.

O posto fronteiriço de Eidomeni/Gevgelija é um ponto de passagem habitual dos refugiados que conseguem alcançar as ilhas gregas provenientes das costas ocidentais turcas e que pretendem prosseguir em direção aos países da Europa do norte.

Desde o início de 2015, mais de 800 mil migrantes chegaram à Europa por mar, com a maioria a utilizar a designada rota dos Balcãs.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.