sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Jordânia deve socorrer já 12 mil refugiados retidos na sua fronteira, diz Amnistia Internacional

A Amnistia Internacional (AI) defendeu hoje que a Jordânia deve tomar medidas imediatas para socorrer 12.000 refugiados a quem foi negada a entrada no país e que tentam sobreviver ao frio em "terra de ninguém".

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Muhammad Hamed / Reuters

Entre os migrantes oriundos da Síria e entregues à sua sorte do lado jordano da fronteira, há "mulheres grávidas, crianças pequenas, idosos e pessoas com problemas de saúde graves", e o "risco de uma catástrofe humanitária" é elevado se Amã não lhes prestar assistência, frisou a AI em comunicado.

"Enquanto prossegue o conflito na Síria, é fundamental que a Jordânia e os outros países vizinhos da Síria mantenham as suas fronteiras abertas àqueles que fogem ao derramamento de sangue ou à perseguição", lê-se no texto.

"Ao negar acolhimento a civis que procuram a segurança no seu território, as autoridades jordanas estão a fomentar uma catástrofe humanitária à sua porta", disse o diretor para os direitos dos refugiados e migrantes da AI, Sherif Elsayed-Ali.

A organização de defesa dos direitos humanos sublinhou que "milhares de pessoas arriscaram a vida para fazer esta árdua viagem pela Síria devastada pela guerra, para, afinal, chegarem à fronteira jordana e serem implacavelmente rejeitados e deixados no limbo a alguns metros da segurança".

Na terça-feira, o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) anunciou que o número de refugiados naquela fronteira aumentou de forma acentuada desde o início de novembro, de 4.000 para 12.000, na sequência da recente intensificação do conflito na Síria, e apelou também a Amã para que os deixe entrar no país.

As autoridades jordanas não apresentaram qualquer motivo oficial para a recusa de entrada aos migrantes.

Desde 2011, a Jordânia deu asilo a mais de 632.000 refugiados sírios, mas a sua política de permissão de entrada àqueles que fogem da guerra tornou-se cada vez mais restritiva.

Lusa

  • Carro do suspeito de rapto de Maelys fotografado por radar a alta velocidade
    1:16

    Mundo

    Praticamente um mês depois do desaparecimento de Maelys de Araújo, as autoridades francesas continuam a fazer buscas para tentar encontrar a menina lusodescendetnte de 9 anos. Entretanto, um jornal francês revelou que o carro do homem suspeito de rapto terá sido fotografado, por um radar, a alta velocidade na noite do desparecimento.

  • 950 militares cercam a Rocinha, no Rio de Janeiro
    2:36
  • Terra volta a termer no México

    Mundo

    Um sismo de magnitude 6,2, na escala de Richter, foi registado às 05h30, hora local, 23h30, em Lisboa. Até ao momento não há registo de vítimas ou danos materiais.

  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04

    Mundo

    O Presidente francês volta hoje a ser alvo de manifestações contra a reforma laboral. Os protestos foram organizados por Jean Luc Melenchon, o candidato da extrema-esquerda que concorreu contra Macron.

  • Icebergue com 5.800 quilómetros quadrados está a deslocar-se na Antártida

    Mundo

    Um icebergue gigante está a deslocar-se na Antártida em direção ao mar de Weddell segundo as imagens de satélite reveladas. Trata-se do A68, um icebergue quatro vezes maior que a cidade de Londres. Com cerca de 5.800 quilómetros quadrados e triliões de toneladas, A68 é um dos maiores icebergues conhecidos.