sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Alemanha recruta 8500 professores para ensinar crianças refugiadas

A Alemanha contratou 8500 professores para ensinar a língua alemã a crianças refugiadas, perante a entrada de milhares de refugiados no país.

A Alemanha e a Suécia são os dois principais recetores de migrantes.

A Alemanha e a Suécia são os dois principais recetores de migrantes.

© Fabrizio Bensch / Reuters

Por via da maior vaga de migrantes na Europa, este ano entraram na Alemanha 325 mil crianças em idade escolar, das quais 196 mil entraram no sistema educativo.

De acordo com a edição do jornal Die Welt, para fazer face às necessidades educativas das crianças refugiadas, foram criadas mais de oito mil turmas e contratados 8.500 professores em todo o país. No entanto, o número poderá chegar aos 20.000 educadores a serem requisitados.

"A administração escolar e educativa nunca tinha sido confrontada com um desafio desta dimensão. Temos de aceitar que esta situação de exceção será a regra por muito tempo", afirmou ao Die Welt Brunhild Kurth, responsável do conselho de Educação, que agrupa os representantes dos diferentes Estados-região da Alemanha.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.