sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Sete refugiados encontrados mortos na costa mediterrânica da Turquia

Sete refugiados foram encontrados mortos nas últimas 24 horas na costa mediterrânica da província turca de Esmirna, informou o diário Hurriyet no seu sítio na internet.

Santi Palacios

Seis das vítimas foram encontradas no distrito de Seferihisar e uma sétima no de Menderes.

Dezenas de milhares de refugiados provenientes da Síria e de outros países do Médio Oriente procuram desde o início do ano chegar a alguma ilha grega a partir das províncias turcas de Çanakkale, Balikesir, Esmirna, Mugla y Aydin, que têm costas mediterrânicas.

No ano passado, centenas de milhares de pessoas chegaram por barco às ilhas gregas, de onde foram transferidos para Atenas e outras cidades helénicas, seguindo depois para o centro da Europa.

Segundo a Organização Internacional das Migrações, pelo menos 805 pessoas faleceram no Mar Egeu e cerca de 850 mil conseguiram entrar na Grécia.

O atual clima invernoso torna estas travessias da Turquia para a Grécia ainda mais perigosas.

Lusa

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.