sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Eslovénia e Croácia vão limitar entrada de refugiados

Os governos da Eslovénia e da Croácia confirmaram que vão seguir as restrições à entrada de refugiados anunciadas hoje pela Áustria.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Srdjan Zivulovic / Reuters

"O governo adotará as correspondentes decisões na quinta-feira e uma das possibilidades é determinar o limite do fluxo de refugiados proveniente da Croácia. Teremos de adaptarmos ao que a Áustria fizer", declarou o ministro do Exterior esloveno, Karl Erjavec a jornalistas.

As declarações tiveram lugar após Viena ter hoje anunciado que vai limitar a aceitação dos pedidos de asilo a um máximo de 37.500 este ano, embora o ministro tenha dito que ainda não recebeu qualquer informação oficial da Áustria.

De acordo com a agência de notícias eslovena STA, a situação nas fronteiras do país balcânico não se alterou até agora, esperando-se que a Áustria comece a implementar as novas medidas a partir do próximo mês.

Também o ministro do Interior croata, Ranko Ostojic, confirmou hoje que a Croácia aplicará medidas restritivas se a Áustria e a Eslovénia o fizerem.

"A Croácia vai agir como os demais países em redor", declarou o governante à agência de notícias croata Hina.

Pela Croácia e pela Eslovénia passaram, desde setembro passado, cerca de 600.000 refugiados procedentes da Sérvia.

Nesse período, quase todos passaram pela Eslovénia rumo à Áustria, enquanto, nas últimas semanas, todos os dias centenas de pessoas atravessaram a fronteira com destino a Itália.

Por seu lado, o governo da Sérvia anunciou hoje que apenas permitirá a passagem pelo seu território de refugiados que pretendam solicitar asilo à Áustria ou à Alemanha.

Com as novas medidas hoje anunciadas, a Áustria pretende gerar, segundo o ministro do Exterior, Sebastian Kurz, um "efeito dominó" que leve os restantes países da chamada "rota dos Balcãs" a aumentar o controlo, com receio de que os refugiados sejam devolvidos aos respetivos territórios.

Lusa

  • 2,1%. As reações ao défice de 2016

    Economia

    O défice orçamental ficou mesmo nos 2,1% do PIB. Os partidos já reagiram àquele que é o valor mais baixo em democracia.

  • Comboios Alfa vão ter bancos com tomadas elétricas e wi-fi
    2:06
  • Novas imagens dos momentos após Khalid Masood ter embatido no muro do Parlamento britânico
    1:35
  • Nus e acorrentados em frente a Auschwitz

    Mundo

    Catorze pessoas com idades entre os 20 e os 27 anos despiram-se e acorrentaram-se em frente ao portão de Auschwitz, antigo campo de concetração nazi na Polónia, depois de terem degolado um carneiro. Ninguém sabe ainda porquê.

  • A coleção de gerigonças de Ana Catarina Mendes
    1:51
  • Parlamento português pede demissão de Dijsselbloem

    País

    A Assembleia da República foi hoje unânime na condenação das polémicas declarações do presidente do Eurogrupo, mas recusou um ponto pela rejeição de diversos compromissos com a União Europeia (UE) exigida pelo PCP.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33
  • Viaduto de Alcântara condicionado
    1:36

    País

    O viaduto de Alcântara, em Lisboa, continua com o trânsito condicionado mas apenas sobre o tabuleiro e no sentido Alcântara Terra - Alcântara Mar. A circulação só será reposta depois de uma nova vistoria, ainda sem data marcada.

  • Como se resolve a falta de espaço numa cidade chinesa?
    1:07