sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Reforma do direito de asilo aprovada na Dinamarca é "desprezível", acusa ONG

A organização não governamental Human Rights Watch (HRW) considerou hoje "desprezível" e "puramente vingativa" a polémica reforma do direito de asilo aprovada pelo parlamento dinamarquês e que prevê entre outras medidas a confiscação de valores aos migrantes e refugiados.

© Reuters Photographer / Reuter

"Considero desprezível que a Dinamarca, e em certa medida a Suíça, pretendam confiscar os últimos bens de pessoas que, devido ao seu exílio e à sua vulnerabilidade, já estão muito empobrecidas e possuem muito pouco", declarou o diretor executivo da HRW, Kenneth Roth, na apresentação do relatório 2016 da ONG.

"Será que um país rico como a Dinamarca tem verdadeiramente a necessidade de despojar os requerentes de asilo dos seus últimos bens antes de lhes oferecer serviços básicos", questionou, em conferência de imprensa.

Na terça-feira, o parlamento dinamarquês aprovou por maioria esmagadora uma controversa reforma que prevê a confiscação dos bens dos migrantes, a redução dos seus direitos sociais e o prolongamento dos prazos de reagrupamento familiar.

A Suíça também exigiu aos requerentes de asilo que remetam às autoridades helvéticas, quando entrarem no país, todos os seus bens num valor superior a 1.000 francos suíços (913 euros).

"É preciso assinalar que esta questão não tem nada a ver com um eventual reembolso [dos serviços prestados] porque se a Dinamarca quisesse ser reembolsada pelos requerentes de asilo, oferecia-lhes empregos, o que a maioria deseja", acrescentou Roth.

As medidas de confiscação "parecem puramente vingativas e uma tentativa de enviar a mensagem 'como podem ousar vir para a Dinamarca, vós que sois requerentes de asilo e que chegaram à União Europeia'", insistiu.

"Esta resposta sem piedade não era a que esperávamos de um país rico membro da União Europeia", concluiu o responsável da HRW.

Diversos comentadores associaram a proposta dinamarquesa à confiscação de ouro e de outros valores aos judeus pelos nazis durante o Holocausto.

No entanto, o primeiro-ministro Lars Lokke Rasmussen já definiu a medida como a "lei que está ser interpretada da forma mais incorreta em toda a história da Dinamarca".

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado numa garagem na Amadora
    1:51

    Desporto

    O carro que atropelou o adepto da Fiorentina, junto ao Estádio da Luz, está nas mãos da Polícia Judiciária. O automóvel foi encontrado esta terça-feira por uma brigada da PSP na garagem de um casa da Amadora, que pertence a um elemento da claque dos No Name Boys.

  • Portugueses passam mais de oito horas por semana ao volante
    0:59

    País

    Os portugueses gastam, em média, oito horas em deslocações durante a semana. Um estudo do Observatório Europeu da Mobilidade, divulgado hoje, diz ainda que a grande maioria prefere o automóvel como meio de transporte. Entre os países europeus, Portugal é líder na utilização do carro para deslocação para o trabalho.

  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • PCP abre debate quizenal com assuntos laborais e sociais

    País

    Um dia depois da sessão solene do 25 de Abril, os deputados regressam hoje ao parlamento para mais um debate quinzenal com o primeiro-ministro, que será seguido por uma discussão sobre o Conselho Europeu extraordinário de sábado. Acompanhe aqui em direto às 15h00 e Minuto a Minuto.

  • Portugal subiu cinco lugares no Ranking da Liberdade de Imprensa
    1:42

    País

    Portugal está agora na 18 ª posição em 180 países no relatório deste ano dos Repórteres Sem Fronteiras. Esta associação revela que a imprensa portuguesa foi condenada 21 vezes por violação de liberdade de expressão e por difamação pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.