sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Novo naufrágio no Mar Egeu causa 33 mortos, incluindo 5 crianças

Um novo balanço oficial sobre o naufrágio de uma embarcação de migrantes hoje ao largo da costa turca dá conta de 33 mortos, noticiou a agência noticiosa Anatólia. O balanço anterior dava conta de 10 mortos e de mais de uma dezena de desaparecidos, apesar de as autoridades da Guarda Costeira turca terem conseguido resgatar das águas 43 sobreviventes.

© Yannis Behrakis / Reuters (Arquivo)

As vítimas, entre elas dois bebés e pelos menos mais três outras crianças, são maioritariamente da Síria e Afeganistão, mas também oriundas da distante Birmânia, acrescenta a Anatólia.

O naufrágio da frágil embarcação deu-se no Mar Egeu, quando os migrantes tentavam sair da Turquia com destino à ilha grega de Lesbos.

A Guarda Costeira turca ainda está a tentar determinar quantos migrantes seguiam a bordo da embarcação.

Na quinta-feira, 24 migrantes, entre eles 10 crianças, entre sírios e afegãos, morreram também num naufrágio ao largo da ilha grega de Samos.

Dados do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), desde o início deste mês que já chegaram à Europa via Mar Mediterrâneo 46.240 migrantes - 44.040 chegaram à Grécia e 2.200 a Itália.

A grande maioria, 84%, são refugiados, cidadãos que países em conflito.

Mais de 230 pessoas já morreram no mar ou são consideradas desaparecidas desde o início deste mês.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão