sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Turquia pronta a abrir fronteiras para acolher dezenas de milhares de sírios

A Turquia anunciou que está pronta para abrir as fronteiras às dezenas de milhares de sírios que continuavam este domingo à espera, depois de terem fugido da ofensiva do Exército do regime apoiado pela aviação russa.

A Turquia já acolhe cerca de 2,7 milhões de refugiados sírios.

A Turquia já acolhe cerca de 2,7 milhões de refugiados sírios.

© Osman Orsal / Reuters

À espera de uma decisão de Ancara, a situação humanitária é cada vez mais "desesperante" para os civis, principalmente mulheres e crianças, que se deslocam para o norte da Síria, segundo os Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Se os sírios empurrados para o êxodo "estão às nossas portas e não têm outra escolha, nós devemos deixar entrar os nossos irmãos e é o que vamos fazer", declarou no sábado o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, aos jornalistas.

Contudo, Erdogan não precisou quando é que os sírios poderiam entrar na Turquia, numa altura em que os principais postos fronteiriços, incluindo o de Oncupinar, se mantinham hoje fechados, segundo constatou um jornalista da AFP.

A Europa recordou Ancara do dever, à luz do direito internacional, de acolher os milhares de refugiados sírios bloqueados na fronteira sírio-turca depois de terem fugido da ofensiva do Exército do regime apoiado pela aviação russa.

"A Convenção de Genebra, que estipula que é preciso acolher os refugiados, é sempre válida", declarou o comissário para o Alargamento, Johannes Hahn, quando chegava no sábado para uma reunião da União Europeia (UE) em Amesterdão.

O comissário falava depois de ser questionado sobre o facto de a Turquia ter fechado o posto fronteiriço de Oncupinar (denominado Bab al-Salama do lado sírio), a sul da cidade turca de Kilis, onde não foi autorizada qualquer entrada ou saída do território turco na sexta-feira.

A Turquia já acolhe cerca de 2,7 milhões de refugiados sírios.

Mais de 30.000 pessoas juntaram-se nos últimos dias nos arredores da cidade de Azaz, a cinco quilómetros da fronteira com a Turquia, afirmou no sábado o governador da província fronteiriça turca, Suleyman Tapsiz, precisando que esta vaga pode atingir um total de 70.000 refugiados.

Estes civis estão forçados a viver ao frio e em condições precárias, nos campos de refugiados instalados à pressa, designadamente em torno da localidade de Bab al-Salama.

"A situação é desesperada na região de Azaz" devido à ausência de abrigos, de água e de equipamentos sanitários, indicou o chefe da missão dos MSF na Síria, Muskilda Zancada.

Lusa

  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.