sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Centro para refugiados homossexuais abre na terça-feira em Berlim

O segundo centro para refugiados homossexuais na Alemanha abre na terça-feira em Berlim e vai acolher mais de 120 pessoas, disseram hoje os responsáveis da associação na origem do projeto.

reuters

A estrutura situa-se num edifício de quatro andares no leste da capital alemã, onde 29 apartamentos vão receber 122 refugiados homossexuais e transexuais, indicou Marcel de Groot, que dirige uma associação de aconselhamento dirigida aos homossexuais, a Schwulenberatung, numa conferência de imprensa.

Em centro do mesmo tipo, para oito pessoas, abriu a 01 de fevereiro em Nuremberga (sul) e foi o primeiro do género na Alemanha.

Muitos requerentes de asilo homossexuais vêm de países onde a sua orientação sexual "é considerada um crime", lembrou Groot, lamentando que uma vez na Alemanha eles continuem a ser vítimas de violência, verbal ou física, de ameaças e de discriminação por parte de outros refugiados e, por vezes, do pessoal de segurança.

O responsável insistiu na "necessidade absoluta" do centro agora criado para que "as pessoas possam lá viver sem temer a violência ou a discriminação".

"Alguns são 'apenas' insultados", a outros cospem-lhes ou "são ameaçados, há muitos exemplos. O medo é insuportável, eu sei, eu vivi isso", disse Mahmoud Hassino, jornalista sírio e ativista 'gay' que fugiu da Síria em 2014 e trabalha agora na Schwulenberatung.

  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.

  • PJ de Portimão deteve italiano foragido
    0:55

    País

    A Polícia Judiciária de Portimão deteve em Lagos um homem italiano que aguardava extradição. O antigo piloto de automóveis esteve foragido durante quase um ano, depois de ter cortado a pulseira eletrónica.