sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Bulgária autoriza presença militar na fronteira com Turquia para conter pressão migratória

O parlamento búlgaro aprovou hoje por unanimidade uma reforma legal que permite a presença de tropas na fronteira com a Turquia para enfrentar a pressão migratória.

(Arquivo/AP)

(Arquivo/AP)

BULENT KILIC

A medida, proposta pelo primeiro-ministro conservador Boiko Borisov, permite aos militares patrulhar as zonas fronteiriças em conjunto com a polícia de fronteiras.

Segundo a reforma, o Governo deverá ordenar o envio dos soldados quando considerar que se perspetiva uma eventual vaga migratória, com o ministério da Defesa a decidir o número de soldados que deverão ser deslocados.

O ministro da Defesa búlgaro, Nikolai Nenchev, declarou alguns dias antes da votação que os planos preveem a deslocação de três ou quatro batalhões de infantaria, num total entre 2.100 e 2.800 soldados.

Em simultâneo, recordou que o exército búlgaro já participa desde abril em operações conjuntas com a polícia para a proteção das fronteiras, mas limitadas ao âmbito logístico.

A reforma da lei também prevê que o ministério da Defesa búlgaro defina as regras sobre o uso da força pelos soldados.

Desde o início de 2014 que o país balcânico está a construir uma vedação ao longo da fronteira com a Turquia, num investimento de 32 milhões de euros.

A Bulgária partilha com a Turquia uma fronteira de 259 quilómetros, na sua maioria em zonas de bosque e campo e até ao momento já ergueu uma cerca com 70 quilómetros, aguardando-se que construa outros 90 quilómetros em 2016, segundo as projeções oficiais.

Em 2015 cerca de 30.000 pessoas, na maioria provenientes do Médio Oriente, entraram na Bulgária, e 5.500 garantiram asilo.

Lusa

  • A história de João Ricardo
    10:37
  • Parceiros sociais começam hoje debate sobre salário mínimo

    Economia

    Os parceiros sociais reúnem-se hoje com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, para iniciarem a discussão sobre a atualização do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais e confederações patronais a assumirem posições divergentes.Em cima da mesa estarão as propostas das centrais sindicais, com a CGTP a exigir 600 euros a partir de janeiro de 2018 e a UGT a reivindicar 585 euros como ponto de partida para a negociação.

  • Os 72 golos de mais uma noite de Liga Europa

    Liga Europa

    Os 16 avos-de-final da Liga Europa começam a ganhar forma. São já 16 as equipas apuradas para a próxima fase da competição, entre elas o Sporting de Braga, que somou mais uma vitória. Em sentido inverso, o Vitória de Guimarães saiu derrotado de Salzburgo e ficou mais longe da qualificação. A 5.ª jornada da fase de grupos jogou-se esta quinta-feira e ao todo marcaram-se 72 golos. Estão todos aqui, para ver ou rever.

  • "No fim, logo se vê" se foram quatro anos de uma legislatura perdida
    1:28

    País

    Pedro Passos Coelho acusa o Governo de perder uma legislatura. O presidente do PSD diz que "no fim, logo se vê" se foram ou não quatro anos de oportunidade perdida para o país. No último Conselho Nacional antes das eleições diretas do partido, Passos acusou o Executivo de perder o rumo e apontou os casos do Infarmed e do aumento do preço da água como exemplos de desorientação.

  • Marcelo apoia novo Mecanismo Europeu de Proteção Civil
    0:44

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa considera o novo Mecanismo de Proteção Civil uma ideia muito boa, que tem todo o apoio do Governo e do Presidente da República. Marcelo apenas lamenta que o modelo não existisse durante os incêndios deste ano.