sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Ban Ki-Moon preocupado com restrições na passagem nos Balcãs

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, expressou hoje preocupação com o aumento das restrições à passagem de migrantes nas fronteiras dos Balcãs, sublinhando que é contrária à Convenção Internacional dos Refugiados.

© Brendan McDermid / Reuters

As regras nas fronteiras da Áustria, Eslovénia, Croácia, Sérvia e Macedónia "não estão em conformidade" com a convenção de 1951, "porque a determinação individual do estatuto de refugiado e a avaliação das necessidades de proteção individual não são possíveis", afirmou o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric.

A Eslovénia, Croácia e Sérvia afirmaram hoje que vão restringir o número de entrada de migrantes no seu território a 580 por dia.

Aquele anúncio ocorre depois de a Áustria ter anunciado a semana passada que só vai aceitar 80 pedidos de asilo por dia e deixar passar diariamente 3.200 migrantes.

O número de requerentes de asilo que entram na Grécia a partir da Turquia continua sem diminuir e os encerramentos de fronteiras ao longo da rota dos Balcãs "estão a criar uma situação difícil à Grécia", acrescentou.

Ban Ki-Moon está "plenamente consciente das pressões sentidas por muitos países europeus durante a crise migratória", disse Stephane Dujarric.

"Contudo, pede a todos os países para manterem as suas fronteiras abertas e para agirem com espírito de responsabilidade, partilha e solidariedade, incluindo através do aumento dos serviços legais disponibilizados para os migrantes terem acesso ao asilo.

Cerca de 120.000 migrantes já chegaram este ano à Europa, segundo a agência da ONU para os Refugiados.

Lusa

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.