sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Santos Silva avisa que nenhum país europeu está imune a vaga de refugiados

O ministro dos Negócios Estrangeiros português avisou hoje que nenhum país europeu "está imune às consequências de um fluxo de refugiados" e afirmou que Portugal está disponível para receber "na ordem da dezena de milhar" de pessoas.

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

ESTELA SILVA/ LUSA

"Nenhum país europeu está imune às consequências de um fluxo de refugiado ou de uma corrente migratória descontrolada, seja porque é um país de destino dos refugiados, como a Alemanha, Suécia ou Dinamarca, seja porque é um país de trânsito ou um país de origem, da primeira chegada à Europa", disse à Lusa o chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, no final do terceiro encontro do Grupo Informal do Mediterrâneo, que decorreu hoje em Limassol, no sul do Chipre.

Qualquer país pode não estar em nenhuma destas situações atualmente, mas pode vir a estar no futuro, acrescentou, sublinhando que qualquer Estado-membro da União Europeia (UE), enquanto tal, "tem a obrigação de contribuir para a resolução conjunta dos problemas que minam essa União".

Portugal defende que a questão dos refugiados deve ser tratada "à luz das obrigações do direito internacional" e é um "contribuinte líquido para essa solução", oferecendo-se para receber mais refugiados do que a quota atribuída, disse Santos Silva, que indicou que o país "está disponível para acolher na ordem da dezena de milhar".

Ao abrigo da recolocação comunitária, Portugal voluntariou-se para receber 4.486 pessoas: 4.295 ao abrigo do mecanismo de recolocação e 191 ao abrigo da reinstalação - ou seja, provenientes de países fora da UE.

Sobre a proposta da Áustria, que esta quinta-feira considerou que será melhor para Portugal "receber diretamente da Grécia" refugiados, nos chamados centros de registo ('hotspots'), na sequência da disponibilidade para receber mais pessoas feita pelo primeiro-ministro, António Costa, o chefe da diplomacia portuguesa disse que tal tem sido cumprido.

"Essa é uma obrigação de Portugal que temos cumprido. Dos meios até hoje em uso, a Portugal chegaram dezenas [de pessoas]. O número de refugiados que Portugal já acolheu vindos dos chamados 'hotspots', em Itália ou Grécia, não excede a casa das dezenas", referiu.

"Precisamos, no contexto europeu, de acolher centenas de milhares de pessoas que precisam da nossa ajuda", salientou.

Questionado sobre a incapacidade da Europa de responder à crise dos refugiados, Santos Silva considerou que a UE "não estava preparada para uma dimensão deste calibre, mas essa impreparação não abona a favor da União".

Os países que integram o Med Group (Portugal, Espanha, França, Itália, Malta, Grécia e Chipre), "têm em comum serem da fronteira exterior da UE" e estão "comprometidos com a necessidade de reforçar a defesa da fronteira externa da União e com a necessidade de combinar medidas em matéria de segurança com medidas de apoio humanitário", referiu o ministro, no final do encontro.

Para o governante, os países europeus têm de "tornar efetivo o que dizem nas palavras 'solidariedade europeia'".

Lusa

  • Samaris suspenso por três jogos

    Desporto

    O internacional grego do Benfica Samaris foi castigado com três jogos de suspensão pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, após ter sido instaurado um auto de flagrante delito por parte da Comissão de Instrutores.

    Em atualização

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.