sicnot

Perfil

Crise Migratória na Europa

Confrontos entre migrantes e polícia na demolição de parte do campo de Calais

Confrontos entre migrantes e polícia na demolição de parte do campo de Calais

Calais viveu momentos de grande tensão quando começou a ser desmantelado o campo de refugiados em solo francês. Dezenas de migrantes atacaram a polícia com pedras e foram feitas várias detenções.

Durante a noite de hoje, os refugiados em Calais atacaram camiões e a polícia.

O canal de televisão "France 2" indicou que quatro pessoas foram detidas após as altercações entre migrantes e polícia, depois da meia-noite nas ruas próximas do campo de Calais conhecido como 'Jungle' (selva, em inglês), dando conta também que vários polícias ficaram feridos ligeiramente.

Segundo a mesma fonte, foram cerca de 150 ocupantes de "a selva" que quiseram protestar contra o desmantelamento do campo e contra a destruição das suas 'barracas' fora do acampamento.

Nas imagens televisivas podem ver-se vários homens a lançar diferentes tipos de projéteis contra os camiões, que posteriormente também foram atacados com barras de ferro.

Na origem destes confrontos está o desmantelamento da parte sul do campo decidido pelo Governo francês, que teve início, em grande escala, segunda-feira ao final da manhã, com a chegada de escavadoras e de dezenas de agentes anti-distúrbios para proteger o trabalho de destruição das 'barracas'.

As autoridades locais, que prometeram que ninguém seria retirado à força daquele campo, referiram que 3.700 pessoas viviam no local, das quais entre 800 e 1.000 vão ser afetadas pela evacuação.

Instituições de caridade referiram que, segundo um último censo, na parte demolida viviam 3.450 pessoas, incluindo 300 crianças não acompanhadas.

Os migrantes retirados foram aconselhados a instalar-se em contentores climatizados na parte norte do campo ou num dos 100 centros de acolhimentos em toda a França.

A evacuação da parte sul da "selva" foi contestada em tribunal por um grupo de migrantes e organizações, mas a justiça decidiu na passada quinta-feira a favor do Estado.

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.