sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima resgata 2485 migrantes nos últimos cinco meses

A Polícia Marítima (PM) portuguesa, em missão na ilha grega de Lesbos, resgatou, em segurança, e transportou para terra, nos últimos cinco meses, 2485 migrantes e refugiados que corriam risco de vida, divulgou hoje a PM.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Giorgos Moutafis / Reuters

Integrada na missão da agência "Frontex Poseidon Rapid Intervention", a colaborar no controlo de fronteiras da União Europeia, a PM participou, de 01 de outubro de 2015 a 29 de fevereiro último, em 63 missões de busca e salvamento, tendo resgatado 2485 pessoas, das quais 637 eram bebés e crianças e, 519, mulheres.

Em igual período, a PM prestou 16 vezes apoio de primeiros socorros, recuperou cinco pessoas mortas e deteve cinco facilitadores. Contabilizou 921 horas de navegação, num total de 4998 milhas náuticas.

A missão da PM, visando o controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas, assumiu, de acordo com a PM, um "carácter de busca e salvamento e de ajuda humanitária aos migrantes e refugiados" que diariamente cruzam as águas do mar Egeu, realizando a travessia entre a Turquia e a ilha de Lesbos.

"A equipa da PM encontra, na maioria das vezes, cenários de grande stress, botes e embarcações sobrelotadas sem condições de navegabilidade e em perigo iminente de naufrágio", salienta a PM no balanço realizado.

Segundo a PM portuguesa, as pessoas resgatadas procuram desesperadamente chegar à Grécia, mesmo sem quaisquer condições de segurança, muitas delas sem coletes salva-vidas, totalmente molhadas e correndo sérios riscos de entrada em hipotermia.

"A essas pessoas são distriuídas mantas térmicas para combater os efeitos da exposição ao frio. Os casos mais graves são dos bebés e crianças cuja resistência ao frio é muito menor e a quem a equipa da PM dá especial atenção", adianta a Polícia Marítima Nacional.

Aos migrantes e refugiados, a PM tem fornecido, sempre que necessário, águas, bolachas e chocolates.

A PM diz que vai manter o seu apoio à guarda-costeira grega, com o objetivo de cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.