sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Tusk apela a potenciais migrantes económicos para não virem para a Europa

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, apelou hoje aos "potenciais migrantes ilegais económicos" para "não venham para a Europa", numa deslocação à Grécia.

© Yves Herman / Reuters

"Eu quero apelar a todos os potenciais migrantes ilegais económicos, onde quer que estejam, não venham para a Europa. Não acreditem nos traficantes. Não arrisquem as vossas vidas e o vosso dinheiro. É tudo por nada", afirmou o responsável, sublinhando que "nem a Grécia, nem outro país da Europa, é um país de trânsito".

Tusk recordou que atualmente a Grécia é o "principal ponto de entrada na União Europeia" e onde se vive uma "situação muito complexa e complicada, com um fluxo contínuo de migrantes e refugiados a chegarem diariamente, desde a Turquia, e muitos milhares" ali a permanecerem.

Depois de deslocações a Viena, Ljublajana, Zagreb, Skopje e Atenas, Tusk testemunhou como a situação na rota dos Balcãs é "verdadeiramente dramática".

Tusk irá viajar para Ancara, Istanbul e Belgrado.

Por seu lado, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, anunciou que na cimeira extraordinária de chefes de Estado e do Governo de segunda-feira, em Bruxelas, vai pedir sanções para os países que não cumpram o "principio fundamental" comunitário de divisão de responsabilidades.

Na conferência de imprensa conjunta com Tusk, Tsipras denominou de "provocatório" a recusa de alguns países em participar no mecanismo de recolocação a partir da Itália e da Grécia.

Lusa

  • Bruxelas propõe 700 M€ para países da UE enfrentarem crise migratória
    1:28

    Crise Migratória na Europa

    Um total de 700 milhões de euros deverá ser disponibilizado como ajuda de emergência humanitária dentro da UE, em particular para responder à crise dos refugiados, segundo uma proposta hoje apresentada pela Comissão Europeia. Mais de 20 mil migrantes estão retidos na Grécia. A pior situação continua a viver-se no norte, junto à fronteira com a Macedónia, onde milhares de refugiados esperam autorização para seguir caminho.