sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Áustria pede à Alemanha que defina número máximo de refugiados a acolher

O chanceler austríaco Werner Faymann pediu hoje à Alemanha que defina claramente o número máximo de refugiados que está disposta a acolher, para evitar a entrada descontrolada de migrantes através da rota dos Balcãs.

Vadim Ghirda

"A Alemanha deve fixar rapidamente um número limite de refugiados que pode acolher, vindos da Síria e da Turquia", declarou o chanceler social-democrata, em entrevista ao jornal diário Kurier, e citado pela France Press.

Na entrevista, Faymann sugeriu que a Alemanha determine um limite máximo de 400 mil refugiados, calculado em relação ao estabelecido pela Áustria (com uma população 10 vezes menor que a Alemanha) que anunciou que não aceitará mais de 37.500 refugiados este ano.

O político austríaco disse acreditar que Berlim anuncie brevemente uma medida idêntica, pois, caso contrário, cada refugiado pensará que pode ir pela rota dos Balcãs até à Áustria e logo a seguir "dar o salto" para a Alemanha, explicou.

Fayman insistiu que o "deixar passar" tem que acabar e ser substituído por um mecanismo em que os refugiados sejam acolhidos na Turquia, Líbano e Jordânia e atendidos aí pelas equipas das Nações Unidas, com a ajuda dos países da União Europeia (UE).

A Alemanha é o destino privilegiado dos migrantes que fogem das zonas de conflito do Médio-Oriente e que percorrem uma rota que passa pela Turquia e pela Grécia.

Segundo o chanceler austríaco, tem de haver uma entrada legal na UE, baseada num limite máximo, de maneira a evitar a entrada "caótica e descoordenada" de migrantes.

Fayman defendeu que se os 28 países da União Europeia seguirem o exemplo austríaco e fixarem um plafond proporcional à sua população a UE poderia receber cerca de dois milhões de refugiados.

Alemanha e Áustria anunciaram em setembro de 2015 uma política de portas abertas face aos conflitos no Médio Oriente, designadamente na Síria, tendo o chanceler recordado que essa política foi "temporária" e que agora há que "voltar à normalidade".

Faymann criticou países da UE que confiaram que Áustria, Alemanha e Suécia resolveriam sozinhos a crise dos refugiados, pelo que adotaram uma posição não solidária.

O chefe do governo austríaco alertou que compete à UE celebrar acordos de colaboração com a Turquia, para que este país combata o tráfico de pessoas e o fluxo incontrolado de migrantes.

Segundo o diário austríaco Der Standard, a ideia é fechar a rota dos Balcãs, ajudar a Grécia a criar centros de acolhimento para 50 mil refugiados e expulsar, de regresso à Turquia, todos os migrantes que não preencham as condições para pedir asilo.

Nas últimas semanas, a Áustria e os restantes países da rota dos Balcãs, com exceção da Grécia, endureceram os controlos fronteiriços e só permitiram a passagem diária de cerca de 580 refugiados, verificando se são oriundos de zonas de conflito ou se são imigrantes económicos.

A Comissão Europeia criticou a introdução pela Áustria de uma quota máxima para a entrada de refugiados, mas Faymann assegura que o seu governo manterá esta política, embora reconhecendo que a questão causará tensões com Bruxelas.

Lusa

  • Os melhores do mundo pela FIFA da última década

    Desporto

    O português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi têm repartido de forma igual os prémios de melhor jogador do mundo pela FIFA, na última década. Apesar destes dois nomes serem os mais falados, muitos outros jogadores foram nomeados para o prémio. Conheça a lista dos nomeados e dos vencedores desde 2007.

  • "Avançámos em primeiro lugar com incentivos às empresas"
    18:07

    Economia

    O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar do que pode ser feito depois da tragédia dos incêndios que assolou o país na última semana. O governante diz que já avançou com incentivos às empresas afetadas e que neste momento o mais importante é preservar a segurança das pessoas.

    Entrevista SIC Notícias

  • Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado debates com as bases do PSD
    0:40

    País

    Pedro Santana Lopes lamenta que Rui Rio tenha recusado a realização de debates com as bases do partido. Fernando Negrão, responsável pela candidatura de Santana Lopes à presidência do PSD, já tinha advertido em comunicado que a posição de Rui Rio poderia também inviabilizar quaisquer outros frente a frente, incluindo os organizados pela comunicação social. Santana Lopes está na Guarda, no primeiro jantar com apoiantes desde que anunciou a candidatura.

  • Tudo o que precisa saber sobre a moção de censura

    País

    O Governo minoritário do PS enfrenta na terça-feira a sua primeira moção de censura, a 29.ª em 43 anos de democracia, mas PCP, BE e PEV já anunciaram que vai "chumbar" a iniciativa do CDS-PP. Esta é a sétima moção de censura apresentada pelo CDS-PP e a 29.ª a ser discutida na Assembleia da República. Os três partidos de esquerda que têm apoiado o executivo, PCP, BE e PEV, já anunciaram que votam contra. Com os votos do PS, a moção é chumbada.

  • Gémeas correm risco de vida se não saírem de Gaza

    Mundo

    Duas irmãs gémeas siamesas correm risco de vida enquanto permanecerem em Gaza. Quem diz é o médico Alam Abu Hamba, do Hospital de Shifra, que garante que "situação complicada" das meninas não pode ser tratada por médicos no território costeiro, atulamente bloqueado pelo Egito e por Israel. Abu Hamba espera que o casal de gémeas possa ser transferido para fora da separação.

  • Encontrado corpo de menina posta de castigo na rua pelo pai

    Mundo

    Sherin Mathews estava desaparecida desde o dia 7 de outubro. Este domingo a polícia do estado norte-americano do Texas encontrou o corpo de uma criança que acreditam ser a menina de três anos, desaparecida depois de o pai a colocar de castigo na rua, durante a madrugada.

    SIC