sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Catarina Martins diz que a maior crise atual na Europa é a humanitária

A deputada do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, considerou hoje que a maior crise que se vive atualmente na União Europeia é "humanitária" e mostrou "preocupação" face à cimeira União Europeia-Turquia sobre os refugiados, que se inicia na segunda-feira.

NUNO ANDR\303\211 FERREIRA

"A maior crise que a União Europeia vive neste momento é, sem dúvida, a crise humanitária e a resposta tem de ser uma resposta de direitos", salientou a líder do Bloco de Esquerda, no encerramento de um debate sobre o tema "Feminismo contra a guerra".

Para Catariana Martins, a cimeira europeia com a Turquia deve ser olhada "com preocupação" devido às "ambiguidades" turcas, desde "a forma violenta como [o regime] reprime as manifestações pela liberdade de expressão" aos ataques contra os curdos.

"O maior perigo desta cimeira entre a União Europeia e a Turquia é que não sirva para resolver absolutamente nada, mas apenas para piorar tudo, com a União Europeia a pagar à Turquia para ter lá os refugiados, para não deixar as pessoas passar, não resolvendo nem o problema da guerra nem o dos migrantes", preveniu, apelando a uma posição clara de Portugal no sentido de "afirmar a urgência" da abertura de fronteiras terrestres.

"Temos de garantir segurança a quem foge: passagem segura, direitos humanos, reagrupamento de famílias. Estas devem ser as três questões centrais que Portugal tem de pôr em cima da mesa nesta cimeira", instou a dirigente do Bloco.

A sessão de hoje, onde participou igualmente a eurodeputada Marisa Matias, serviu para antecipar as celebrações do Dia Internacional da Mulher, que se assinala na terça-feira, chamando a atenção para a violência de género.

"De há uns tempos para cá, nas celebrações do Dia da Mulher, vemos mais vezes oferecer flores às mulheres do que se falar das lutas. É bom lembrar que o Dia da Mulher é um dia de luta, e não um dia para reafirmar estereótipos", lembrou Catarina Martins.

A deputada do BE destacou ainda que a violência de género "está presente nas guerras de que fogem os migrantes", mas também quando chegam à Europa.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.