sicnot

Perfil

Crise Migratória na Europa

Grupo de 64 refugiados chegou hoje a Lisboa

Grupo de 64 refugiados chegou hoje a Lisboa

Chegaram esta madrugada 64 refugiados maioritariamente oriundos da Síria e do Iraque. Deverão ser colocados "o mais breve possível" em instituições de norte a sul do país, adiantou o ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita.

Em declarações aos jornalistas após a chegada do grupo de 64 pessoas, entre as quais mais de duas dezenas de crianças, Eduardo Cabrita explicou que estes refugiados já têm colocação atribuída em vários espaços de 15 cidades portuguesas.

"Chegou hoje de manhã o avião que desde a Grécia trouxe 64 refugiados e não 68 como previsto, porque houve uma família que, por razões de saúde, suspendeu a deslocação e que virá tão breve quanto possível", disse.

O governante explicou que os refugiados chegaram hoje ao aeroporto de Figo Maduro, em Lisboa, num voo fretado pelo Gabinete Europeu de Apoio em matéria de asilo (ASEO), no dia em que acontece o Conselho União Europeia-Turquia.

Com Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41