sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Grécia anuncia mais oito centros de acolhimento para refugiados

A Grécia vai abrir oito novos centros de acolhimento temporário para refugiados após o encerramento efetivo da fronteira com a Macedónia e da rota dos Balcãs, com 42.000 pessoas encurraladas no país.

O porta-voz da coordenadora do Governo para a gestão de refugiados, Yorgos Kyritsis, precisou à agência noticiosa Efe que quatro das oito instalações -- todas complexos militares, um desativado e os restantes em funcionamento -- vão começar a funcionar hoje na região da Tessália, Grécia central.

"Dependendo das necessidades, as Forças Armadas disponibilizarão tendas de campanha, pelo que não podemos fornecer uma estimativa da sua capacidade".

Para além dos quartéis, foram ainda alugados dois hotéis em Termópilas (Grécia central) "com um deles pronto ainda hoje".

O primeiro centro de acolhimento na região do Épiro (nordeste), para onde serão transferidos 150 refugiados, também entrou hoje em funcionamento.

Um responsável municipal declarou à agência noticiosa Ana-Mpa que os habitantes da região do Épiro "têm muita sensibilidade sobre a questão dos refugiados porque uma boa parte dos seus antepassados imigraram para aqui vindos da região da Capadócia", na atual Turquia.

O porta-voz governamental confirmou que hoje vão ser colocados nestes novos centros perto de 1.000 pessoas, até agora instaladas no porto ateniense do Pireu, onde segundo os números oficias se encontram 3.300 migrantes.

Nas ilhas gregas encontram-se ainda 9.400 pessoas que aguardam transferência para os portos do Pireu e Kavala (norte). Nas últimas 24 horas foram registadas 2.373 pessoas que alcançaram as costas gregas provenientes da Turquia.

Na região fronteiriça de Idomeni, junto à fronteira com a Macedónia, concentram-se cerca de 20.000 pessoas em condições muito deficitárias, e com o mau tempo a dificultar as tarefas das diversas ONG no terreno.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite