sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Chefes de Estado da UE reúnem-se para chegar a acordo sobre crise migratória

Os chefes de estado e de governo da União Europeia reuném-se, amanhã e sexta-feira em Bruxelas, para tentar chegar a acordo sobre o projeto de gestão dos migrantes com a Turquia.

Arquivo

Arquivo

© Dimitris Michalakis / Reuters

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, defendeu hoje a necessidade de usar o fortalecimento das relações entre a União Europeia (UE) e a Turquia para apoiar as negociações de um acordo sobre o Chipre.

Na carta enviada aos líderes europeus para os convidar para a cimeira de quinta e sexta-feira, em Bruxelas, Tusk indicou a sua convicção, no âmbito do fortalecimento das relações europeias-turcas, "que vai além da migração", que surja também a "oportunidade de apoiar as negociações de acordo no Chipre".

"Só se isso for possível, podemos avançar" no processo de adesão da Turquia ao espaço comunitário, indicou.

Em causa está um diferendo, que dura há décadas, sobre a ocupação turca de parte da ilha cipriota.

Na carta, Tusk recordou as novas propostas turcas recebidas a 07 de março, durante a segunda reunião UE-Turquia e que foi mandatado para preparar um acordo.

"O objetivo é claro: um acordo aceitável para todos os 28 Estados-Membros, bem como para os nossos parceiros turcos. O trabalho está a progredir, mas ainda há muito a fazer", alertou.

Um esboço do acordo comum UE-Turquia foi entregue aos embaixadores para avançar nas discussões sobre como "abordar as preocupações" levantadas na semana passada.

"É longa a lista de assuntos a resolver antes de podermos concluir um acordo. Uma prioridade absoluta e garantir que as nossas decisões respeitam as leis internacionais e da UE", escreveu Tusk, que alertou para a necessidade de prevenir novas rotas de migração ilegal entre a Turquia e o espaço comunitário.

Os líderes terão ainda de analisar o apoio à Grécia, com a execução na prática de um novo mecanismo de regressos, o pagamento de verbas do pacote de 3 mil milhões de euros para apoio a refugiados na Turquia e o mecanismo voluntário de acolhimento de requerentes de asilo.

O debate sobre a cooperação com Ancara acontecerá num jantar de trabalho na quinta-feira, enquanto para sexta-feira de manhã está previsto um encontro com o primeiro-ministro turco.

Com Lusa

  • Atacantes usaram "tática defendida pelos extremistas do Daesh"
    1:43

    Ataque em Barcelona

    O ex-presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo esteve em direto, para a SIC Notícias, onde falou sobre o ataque desta quinta-feira nas Ramblas, em Barcelona. José Manuel Anes falou na tática defendida na revista dos extremistas do Daesh e que foi usada neste ataque: a utilização de viaturas "de preferência as mais pesadas para matar o maior número de pessoas".