sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Grécia pede mais tempo para aplicar acordo entre UE e Turquia

O acordo entre a União Europeia e a Turquia que prevê que todos os migrantes ilegais que cheguem à Grécia a partir de domingo sejam repatriados não pode ser aplicado, afirmou hoje fonte do governo helénico.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Yannis Behrakis / Reuters

"O acordo sobre o reenvio de novos migrantes que cheguem às ilhas gregas deverá, segundo aquilo que foi estabelecido, entrar em vigor a 20 de março (domingo), mas um plano desse tipo não pode ser implementado em apenas 24 horas", afirmou o coordenador da política migratória do executivo de Alexis Tsipras, Giorgos Kyritsis.

O responsável referiu que após uma reunião de membros do governo, esta tarde, "o primeiro-ministro pediu a aplicação imediata do acordo" alcançado na sexta-feira, em Bruxelas.

"A verdade é que é preciso que as estruturas e o pessoal estejam preparados, e isso demora mais de 24 horas", sublinhou Kyritsis.

O acordo prevê o regresso à Turquia de todos os novos migrantes que cheguem no domingo à Grécia, mesmo os requerentes de asilo, como os sírios que fogem da guerra.

A Grécia obteve dos seus parceiros europeus o compromisso de um reforço imediato de cerca de 2.300 pessoas, entre as quais 400 especialistas em asilo e 400 tradutores, disse o primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Está igualmente previsto um apoio financeiro. Entretanto, Paris e Berlim estão prontos para enviar até 600 polícias e especialistas em asilo asseguraram, por seu turno, os ministros do Interior dos dois países em comunicado conjunto.

Hoje, milhares de pessoas manifestaram-se em várias cidades europeias em sinal de apoio aos migrantes que chegam ao Continente. As manifestações concentraram-se em Londres, Atenas, Viana, Barcelona, Amesterdão e em numerosas cidades suíças, segundo os jornalistas da AFP no local.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32