sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Alemanha deverá terminar em maio controlo nas fronteiras com Áustria

O ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, anunciou hoje, em Viena, que a Alemanha poderá eliminar em maio o controlo das fronteiras com a Áustria, introduzido em setembro por causa da crise de refugiados.

Migrantes atravessam a fronteira entre a Áustria e a Alemanha.

Migrantes atravessam a fronteira entre a Áustria e a Alemanha.

© Michaela Rehle / Reuters

Em entrevista à televisão pública austríaca ORF, o ministro alemão destacou que a chamada "rota dos Balcãs" fechou-se completamente, o que reduziu drasticamente o fluxo migratório.

"Segundo estimativas atuais, se os números se mantiverem tão baixos, não vamos prolongar os controlos fronteiriços além de 12 de maio", afirmou o ministro alemão.

A Alemanha controla a sua fronteira com a Áustria desde setembro de 2015 com o objetivo de fiscalizar o fluxo migratório dos milhares de refugiados provenientes do Médio Oriente.

Aquele controlo, que ocorreu em plena zona Schengen, espaço de livre circulação comunitária, provocou grandes esperas no trânsito entre ambos os países.

No início do ano, a Áustria decidiu definir um número máximo anual de 37.500 pessoas para acolhimento de refugiados, o que provocou o encerramento sucessivo de fronteiras ao longo da rota dos Balcãs.

Em março, chegaram apenas 20.000 refugiados à Alemanha, o número mais baixo desde o verão passado.

A Áustria recebeu o ano passado 90.000 refugiados, mais que a Alemanha, mas menos que a Suécia.

Na segunda-feira, entrou em vigor o acordo celebrado entre a União Europeia e a Turquia, que vai passar a receber refugiados e migrantes que chegam ilegalmente à Grécia.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.