sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Costa reúne-se com Tsipras na segunda-feira em Atenas e visita campo de refugiados

O primeiro-ministro, António Costa, realiza na segunda-feira uma visita oficial de um dia à Grécia a convite do seu homólogo grego, Alexis Tsipras, tendo como tema central a procura de soluções para o fenómeno dos refugiados.

JULIEN WARNAND

Além de reuniões de caráter institucional com Alexis Tsipras e com o presidente da República da Grécia, Prokopis Pavlopoulos, António Costa terá no programa da sua visita uma deslocação a um campo de refugiados instalado na zona de Atenas.

Fonte do executivo português disse à agência Lusa que o convite foi formulado a António Costa pelo primeiro-ministro grego no início de março, durante um encontro promovido pelo presidente francês, François Hollande, que juntou em Paris líderes e chefes de Governo da esquerda política dos Estados-membros da União Europeia.

Durante as 24 horas que permanecerá em Atenas, António Costa deverá abordar com os chefes de Governo e de Estado gregos questões bilaterais e da agenda europeia, tendo como assunto central a questão dos refugiados, sendo a Grécia o país da União Europeia que mais diretamente tem sido atingido por este fenómeno.

Apesar de Portugal estar geograficamente distante das principais rotas dos refugiados, o primeiro-ministro, desde o início do seu mandato, colocou este tema no topo das suas prioridades de ação ao nível da política europeia.

Em fevereiro, durante a sua visita oficial à Alemanha, disponibilizou-se junto da chanceler alemã, Angela Merkel, no apoio à integração de refugiados.

Nesse mesmo mês, o primeiro-ministro português enviou também cartas a homólogos de alguns dos Estados-membros mais pressionados pelos fluxos migratórios (Grécia, Itália, Áustria e Suécia) disponibilizando-se para receber mais cerca de 5.800 refugiados, além da quota comunitária.

Deste modo, Portugal poderá vir a acolher no total um número próximo de dez mil refugiados.

A proposta então apresentada por António Costa apontou para a disponibilidade de Portugal em acolher cerca de dois mil estudantes universitários, 800 no ensino vocacional e entre 2.500 e 3.000 refugiados qualificados para trabalhar nas áreas agrícola e florestal.

Segundo António Costa, a disponibilidade manifestada por Portugal para partilhar este esforço na recolocação de refugiados também a nível bilateral visa "dar o exemplo da atitude que todos os Estados-membros devem ter".

Ainda de acordo com o líder do executivo, Portugal deve ter, nesta e noutras matérias, "um papel pró-ativo de um país que ajuda a encontrar soluções na Europa", até porque, na sua perspetiva, a crise das migrações é "o maior risco para a unidade futura europeia".

Já em março, em Bruxelas, António Costa considerou que o acordo fechado entre União Europeia e a Turquia para a gestão dos fluxos migratórios como "muito importante", mas ressalvou que "não deve ser visto com a ilusão de que o problema está resolvido".

O primeiro-ministro referiu então que esse acordo "assegura proteção internacional a quem dela carece", em particular vítimas da guerra na Síria, "permite responder à situação de crise humanitária que se vive na Grécia", garantindo-lhe solidariedade por parte de todos os Estados-membros, e permite ainda controlar a rota dos Balcãs.

"Mas, obviamente, este acordo não resolve o fundo do problema, que é a manutenção da situação de guerra na Síria, situações de perseguição ou conflito armado noutros países", advertiu.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.