sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Centenas de mortos em naufrágio, confirma Presidente italiano

Várias centenas de pessoas morreram num naufrágio no Mediterrâneo, ao largo do Egito, confirmou hoje o Presidente italiano, Sergio Mattarella.

Guarda Costeira italiana

A comunicação social avança com 400 mortos mas os números ainda não foram confirmados. A britânica Sky News afirma que foram quatro embarcações que naufragaram no Mediterrâneo.

O Presidente italiano, Sergio Mattarella, que se encontra em visita oficial aos Camarões desde domingo, proveniente da Etiópia, instou a Europa a refletir no problema da migração, face a "uma nova tragédia no Mediterrânio, na qual, ao que parece, morreram várias centenas de pessoas.

A guarda costeira italiana, que esta manhã disse não ter tido conhecimento da notícia, indicou que foram salvos 108 migrantes e seis corpos recuperados de uma embarcação de borracha parcialmente submersa no domingo. Um segundo relatório das autoridades italianas deu conta de que 33 migrantes foram salvos durante a noite ao largo da costa siciliana.

Um outro pormenor está ainda a ser avançado pelo The Independent, segundo o qual, notícias ainda não confirmadas referem que quatro embarcações mal equipadas com cerca de quatro centenas de migrantes, provenientes da Somália, Etiópia e Eritreia, terão partido da costa egípcia em direção a Itália.

Alguns sobreviventes, segundo a BBC, terão sido levados para uma ilha grega.

A alegada tragédia ocorre quase um ano depois de uma embarcação de pesca lotada com migrantes se ter afundado ao largo da costa Líbia no Mediterrânio, a pouco mais de 200 quilómetros de Lampedusa, provocando a morte de cerca de 800 pessoas.

De acordo com números das Nações Unidas, 180 mil pessoas tentaram alcançar a Europa por barco este ano, com o custo de quase 800 vidas.

Última atualização; 13h15

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC