sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Naufrágio mata 500 migrantes no Mediterrâneo provocado por excesso de carga

O naufrágio no Mediterrâneo que matou 500 migrantes ocorreu quando duas embarcações com refugiados se encontraram no mar para fazer o transbordo de pessoas da mais pequena para a maior, que não aguentou a carga, disse hoje fonte oficial.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Segundo Carlotta Sami, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) para a Europa do Sul, com base em Roma, a informação foi avançada pelos 41 sobreviventes do incidente ocorrido sexta-feira passada, resgatados sábado e desembarcados domingo, já em segurança, em Kalamata (Grécia).

O grupo de sobrevivente - 41 pessoas oriundas da Somália, Sudão e Etiópia (37 homens, três mulheres e uma criança de três anos) - estava integrado numa frágil embarcação que partiu de Tobruk (leste da Líbia) e que transportava entre 100 a 200 pessoas, indicou Carlotta Sami, citando depoimentos dos sobreviventes.

Já em pleno mar, a embarcação juntou-se a outra, aparentemente maior, já repleta de migrantes. Ao proceder-se ao transbordo dos migrantes da embarcação menor para a maior, esta não suportou o peso e acabou por adornar e afundar-se com cerca de 500 pessoas.

Grande parte dos sobreviventes estava na embarcação mais pequena e não chegou a embarcar na maior, indicou Carlotta Sami, acrescentando que os que permaneceram no barco menor ainda conseguiram ajudar alguns migrantes que estavam dentro de água.

Lusa

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.