sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 30 mil migrantes chegaram a Itália em 2016

A guarda costeira italiana coordenou as operações de salvamento de mais 1.800 migrantes, elevando para mais de 30.000 o total de resgatados no mar ou em embarcações precárias desde o início deste ano, anunciou hoje a marinha italiana.

© Tony Gentile / Reuters

Os migrantes foram salvos na quinta-feira do mar ao largo da Líbia, em dez operações envolvendo barcos operados pela marinha italiana, pela guarda costeira, pela polícia alfandegária, pela agência fronteiriça da União Europeia (UE) Frontex e pela ONG Médicos Sem Fronteiras.

As mais recentes chegadas elevam o número total de refugiados ou de outros migrantes entrados em portos italianos desde 01 de janeiro para mais de 30.000, ligeiramente acima do total de 2015 nesta altura do ano.

Qualquer aumento repentino nas chegadas de migrantes a Itália tende a desencadear o medo de que ocorra um aumento muito superior no verão, após o acordo entre a UE e a Turquia que reduziu drasticamente o número de requerentes de asilo que chegam às ilhas gregas.

Mas as autoridades governamentais italianas e as agências de ajuda dizem não haver, até agora, provas de que tal vá acontecer e apontam a existência de dificuldades logísticas para os migrantes atualmente na Turquia chegarem à Líbia.

A grande maioria dos migrantes que estão a usar a Líbia como saída para uma viagem com destino a Itália tem sido este ano, até agora, sobretudo proveniente da África subsaariana.

Alguns políticos italianos têm repetidas vezes expressado preocupação quanto à possibilidade de os migrantes atualmente na Líbia, estimados em um milhão, tentarem entrar na Europa por barco.

Mas especialistas líbios dizem que muitos destes migrantes trabalham na Líbia há anos, e que é improvável que embarquem numa viagem arriscada no Mediterrâneo, a não ser que a segurança ou a situação económica do país se deteriorem de forma acentuada.

Lusa

  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15

    País

    Os fogos mais violentos começaram na Lousã, no distrito de Coimbra, e o cenário é desolador. Casas e empresas foram totalmente destruídas. Paulo Carvalho era dono de uma carpintaria, que foi reduzida a um monte de escombros.

  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10

    País

    As autoridades confirmaram a morte de oito pessoas no concelho de Vouzela. Agora é tempo de fazer o luto e tentar reerguer o que foi destruído pelo fogo. Os testemunhos emocionados dos moradores e do autarca relatam a destruição deixada pelas chamas. Custódia perdeu quase tudo. José teve de comprar um gerador para continuar a dar de beber às galinhas.

  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.