sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

ONU quer reinstalar 10% dos refugiados de todo o mundo

Um novo plano da ONU para combater a pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial pretende reinstalar anualmente pelo menos 10% dos refugiados, pressionando mais os países para acolherem quem foge a guerras e catástrofes.

© Heinz-Peter Bader / Reuters

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, delineou hoje a proposta de um novo "pacto global sobre partilha de responsabilidade" para enfrentar a crise dos 60 milhões de refugiados e deslocados em todo o mundo.

As Nações Unidas esperam que o novo acordo alivie o fardo de alguns países em desenvolvimento com a crise dos refugiados, que tem sido alimentada por cinco anos de guerra na Síria e outros conflitos.

A proposta apela para a reinstalação anual de pelo menos 10% de uma população total de refugiados de 19,6 milhões, nos termos de uma fórmula que seria negociada na ONU.

"Com uma partilha de responsabilidade equitativa, não haveria crise nos países anfitriões", disse Ban Ki-moon.

"Podemos ajudar e sabemos o que temos de fazer", mas demasiadas vezes o medo, a ignorância e a xenofobia atrapalham, acrescentou.

O plano da ONU foi apresentado numa altura em que a União Europeia (UE) se afunda em disputas sobre como lidar com a sua crise dos refugiados.

Um acordo da UE com a Turquia, que concordou aceitar de volta migrantes em troca de uma série de concessões, tem-se deparado com obstáculos e o bloco europeu tem estado a discutir como há-de partilhar a responsabilidade das reinstalações.

Mais de 184.000 migrantes chegaram à Europa por mar já este ano, mais cerca de 49.000 que no mesmo quadrimestre do ano passado, o que significa que a crise dos refugiados não dá sinais de abrandar.

Espera-se que o acordo de partilha global dos refugiados seja adotado na cimeira da ONU agendada para 19 de setembro, a que se seguirá, no dia 20, uma conferência dos Estados Unidos de doadores.

O Presidente Barack Obama será o anfitrião dessa conferência realizada à margem da reunião da Assembleia Geral da ONU, em que pedirá aos países que digam qual o número de refugiados que estão dispostos a receber, e que outro tipo de apoio podem oferecer.

Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.