sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Portugueses dão nota negativa à UE por causa da crise dos refugiados

Os portugueses dão nota negativa à forma como a União Europeia tem estado a gerir a crise dos refugiados e a acolher estas pessoas, segundo uma sondagem realizada por uma empresa de estudos de mercado, divulgada hoje.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

Reuters

De acordo com os dados da Marktest, a que a Lusa teve acesso, 65,5% dos portugueses inquiridos dão nota negativa à atuação dos países da União Europeia (UE) na crise dos refugiados, com uma nota média de 4,4.

A pergunta colocada a 801 portugueses, entrevistados por telefone, procurou saber de que forma avaliam a forma como a União Europeia está a lidar com a crise dos refugiados, sendo que, numa escala de 1 a 10, um significa muito mal e 10 muito bem.

Em resposta, 15,4% dos inquiridos dizem que a forma de atuação da UE tem sido muito má e dão nota 1, enquanto 6,3% dá dois valores, 8,7% dá três, 9,6% avalia em quatro e 25,5% dá nota 5. Em suma, 65,5% dos portugueses avaliam negativamente a União Europeia.

Por outro lado, há 23,9% de portugueses que dão nota positiva, entre 8,9% que dá nota seis, 5,8% que pontua com 7, 5,1% que dá nota oito, 1,6% que acha que a atuação vale um 9 e 2,5% que entende que merece nota 10. No total, 23,9% dá nota positiva, havendo ainda 10,6% dos inquiridos que não sabem ou não respondem.

Olhando para o perfil dos inquiridos, são sobretudo os homens (nota média de 4,2), com idade entre os 55 e os 64 anos (média de 4), residentes na Grande Lisboa e no Grande Porto (4,3 e 4,2, respetivamente), bem como as pessoas de classe económica mais alta (média de 4) que deram as notas mais baixas e se mostraram mais críticos quanto à atuação da UE.

A sondagem da Marktest foi realizada entre os dias 19 e 25 de abril deste ano, através de 801 entrevistas telefónicas a pessoas de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 18 anos, residentes em Portugal Continental, em lares com telefones de rede fixa.

Foram entrevistadas 374 homens e 427 mulheres e a seleção dos lares a inquirir foi efectuada aleatoriamente, com base nas listas telefónicas de Portugal Continental.

A selecção dos inquiridos, um em cada lar, foi efetuada através do método de quotas, tendo em consideração as variáveis sexo, idade e região.

O erro de amostragem desta sondagem, para um intervalo de confiança de 95% (P=50%) é de, mais ou menos, 3,46 pontos percentuais.

Lusa

  • "Desisto com muita dificuldade, só abandono a liderança se houver rebelião"
    2:39
  • Como um tweet de Kylie Jenner levou à queda das ações do Snapchat

    Economia

    As ações da Snap Inc., empresa que gere o Snapchat, fecharam a cair 6% na bolsa de Wall Street, esta quinta-feira, depois de Kylie Jenner ter anunciado que tinha deixado de usar a aplicação. A celebridade norte-americana tem mais de 24 milhões de seguidores e é considerada uma das utilizadoras mais influentes do Snapchat.

  • Arqueólogos anunciam descoberta de selo com assinatura do profeta Isaías

    Mundo

    Arqueólogos israelitas afirmam ter descoberto a marca de um selo num pedaço de argila que exibe o que consideram ser a assinatura do profeta bíblico Isaías, a quem se atribui a autoria de um livro do Antigo Testamento e de vários excertos do Novo Testamento. O achado arqueológico agora divulgado poderá ser a primeira prova da existência do profeta Isaías até agora encontrada. A descoberta aconteceu em Jerusalém, próximo do local onde foi encontrada um outro selo com a impressão da assinatura do rei Ezequias de Judá.

  • Escolas da Portela e Moscavide degradadas e com amianto
    3:00
  • Marcelo de "alma cheia" no fim da visita a São Tomé e Príncipe
    2:43

    País

    O Presidente da República terminou esta quinta-feira no Príncipe uma visita de três dias a São Tomé. Marcelo Rebelo de Sousa prometeu o reforço da cooperação económica e anunciou a visita de António Costa antes do Verão. e lembrou os políticos portugueses de que é muito mais o que nos une, do que o que nos separa.

    Enviados SIC

  • Não dá mais, Brasil!
    18:00