sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

ACNUR alerta para os perigos de fechar o campo de refugiados de Dadaab

O Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi, alertou hoje para os perigos de fechar o campo queniano de Dadaab, que acolhe mais de 300 mil somalis há mais de duas décadas.

© Thomas Mukoya / Reuters

Depois de uma reunião com os presidentes do Quénia e da Somália, no final de uma visita ao campo de refugiados de Dadaab, no Quénia, Filippo Grandi insistiu que os repatriamentos têm de ser voluntários e que devem ser criadas as condições necessárias para que os refugiados voltem ao seu país de origem "com segurança".

"Precisamos de mais tempo para o conseguir fazer", disse Grandi durante uma conferência de imprensa em Nairobi, aonde voltará no final deste mês para apresentar ao Governo queniano um plano para garantir que não haja nenhum repatriamento forçado.

O fecho do campo de Dadaab, previsto para novembro, tem levantado grandes dúvidas à comunidade internacional devido à dificuldade e ao perigo de repatriar pessoas numa viagem de centenas de quilómetros para um país que está em estado de guerra devido à ameaça do grupo extremista Ah Shabab.


Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.