sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Médicos Sem Fronteiras resgatam 2.028 pessoas do mar Mediterrâneo em menos de 36 horas

A organização não governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) resgatou 2.028 pessoas do mar Mediterrâneo em menos de 36 horas, na quinta-feira e hoje, com recurso a três embarcações, segundo um comunicado de imprensa.

© Reuters Photographer / Reuter

A ONG afirmou que entre as pessoas salvas muitas eram mulheres e crianças, entre as quais um bebé com cerca de duas semanas.

Uma das embarcações de salvamento, "Bourbon Argos", começou a operação após ter recebido uma chamada do Centro de Coordenação de Busca e Resgate Marítimo de Roma às 03:30 de quinta-feira e, em poucas horas, salvou 1.139 pessoas que se faziam transportar em nove botes.

Citado no comunicado, Sebastien Stein, coordenador de operações do "Bourbon Argos" relatou o sucedido: "Um dos barcos estava a vir na nossa direção, lotado de pessoas em estado de pânico. Saltaram para o nosso bote e ainda tivemos de resgatar pessoas da água".

"Nunca vimos tanta gente apertada no Bourbon Argos", acrescentou.

O comunicado acrescenta que o coordenador-geral dos MSF na Itália, Tommaso Fabbri acusou os líderes europeus de não ajudarem a criar uma vida melhor para os que procuram entrar na Europa: "Líderes europeus continuam a procurar meios de enviar essas pessoas, e o seu sofrimento, de volta aos países de onde saíram".

A ONG iniciou as suas operações de resgate a 21 de abril e já resgatou do mar mais de 5.600 pessoas.

Desde 2014, mais de dez mil pessoas morreram ao tentarem atravessar o mar Mediterrâneo para chegar à Europa, segundo dados divulgados este mês pelas Nações Unidas.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.