sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Eurodeputado polaco paga multa por declarações racistas

Janusz Korwin-Mikkem, um deputado polaco de extrema-direita, foi hoje punido pelo Parlamento Europeu por declarações racistas. Korwin-Mikkem afirmou o mês passado que a chegada em massa de migrantes à Europa foi comparável a um "derrame de excrementos".

© Agencja Gazeta / Reuters

O eurodeputado, de 73 anos, terá de pagar uma multa de cerca de 3 mil euros e ficará suspenso da atividade parlamentar durante cinco dias em setembro, anunciou no hemiciclo o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

"Decidi impor uma punição a este deputado pela sua declaração inaceitável relativa a migrantes africanos" no passado dia 07 de junho, afirmou.

Tudo aconteceu durante um debate numa sessão plenária dedicada à crise migratória. Janusz Korwin-Mikke declarou que a Europa estava "inundada pelo derrame de excrementos africanos", pedindo para se "parar de dar subsídios" aos migrantes para "os forçar a trabalhar".

Já não é a primeira vez que o deputado faz declarações racistas. Em julho de 2014 já tinha suscitado a indignação, comparando os jovens desempregados a "negros", enquanto que em outubro de 2015 fez a saudação nazi no hemiciclo do parlamento europeu.

Com Lusa

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.