sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Cerca de 130 refugiados chegados à fronteira servo-húngara fazem greve de fome

© Marko Djurica / Reuters

Cerca de 130 refugiados que chegaram esta noite à fronteira servo-húngara depois de uma marcha de protesto desde Belgrado, estão agora em greve de fome, pedindo à Hungria a entrada na União Europeia (UE).

A informação é da televisão pública sérvia RTS, que indica que os migrantes se recusaram a usufruir de 30 tendas que lhes foram postas à disposição, junto de outros 650 refugiados que esperam a entrada na Hungria, e instalaram-se num terreno arenoso a cerca de 500 metros da zona de trânsito húngara na fronteira de Horgos/Roszke.

A grande maioria dos 130 refugiados é proveniente do Afeganistão e Paquistão, pelo que a UE os considera como imigrantes "económicos", com fracas probabilidades de obter o asilo.

O grupo chegado à fronteira fazia parte de um conjunto de 300 refugiados que iniciou na sexta-feira uma marcha de protesto desde Belgrado, numa extensão de 200 quilómetros.

A Hungria introduziu normas restritivas de asilo na semana passada, pelo que só deixa entrar cerca de 30 pessoas por dia.

O ministro sérvio dos Assuntos Sociais, Aleksander Vulin, disse hoje à RTS que a Sérvia acolhe atualmente cerca de 3.000 migrantes e o número está a crescer desde as patrulhas iniciadas na semana passada por unidades conjuntas da Polícia e do Exército para impedir passagens ilegais nas fronteiras.

"O número de entradas desde a Bulgária e Macedónia vai diminuindo, não porque a crise terá passado, mas porque introduzimos novas medidas", disse Vulin.

O ministro advertiu que os refugiados que procuram asilo na Sérvia vão ser acolhidos em centros de abrigo, "e quem não aceitar, será devolvido ao país de onde veio".

Os migrantes veem a Sérvia como um país de trânsito para os seus destinos na União Europeia e muito poucos pediram asilo no país.

A Sérvia fazia parte, com a Macedónia, a Croácia e a Eslovénia da "rota dos Balcãs", usada por milhares de migrantes para deslocação aos países ricos na Europa, como a Alemanha.

A rota foi oficialmente encerrada no mês de março, mas os refugiados ainda não desistiram.


Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.