sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Cerca de 208 migrantes morreram no Estreito de Gibraltar em 2016

© Jon Nazca / Reuters

A Associação Pro-Direitos Humanos de Andaluzia (APDHA) disse hoje que 208 pessoas perderam a vida ao atravessar o Estreito de Gibraltar para alcançar a costa espanhola, durante o primeiro semestre do ano.

Segundo a APDHA, o número de óbitos registados no período entre janeiro e junho de 2016 supera as 195 pessoas mortas ou desaparecidas durante todo o ano de 2015

A organização afirma que neste semestre de 2016 apenas foram recuperados 21 corpos, em oposição aos 64 recolhidos no ano passado.

Para a APDHA, as ultimas politicas migratórias aprovadas em Espanha permitem "que continuem a perder a vida pessoas que tentam emigrar ou obter refugio e asilo no país".

Segundo um relatório da Organização Internacional para as Migrações (IOM, em inglês), 2.954 pessoas morreram no Mediterrâneo até ao momento, enquanto, em 2015, perderam a vida 3.770 pessoas durante todo o ano.

A APDHA exigiu "uma reconsideração global das políticas migratórias para que se possam converter numa gestão acolhedora, solidária e respeitosa dos direitos humanos".

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.