sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de três mil pessoas já morreram no Mediterrâneo este ano

© Handout . / Reuters

Mais de três mil migrantes e refugiados morreram no Mediterrâneo este ano, com a travessia para a Europa a ser feita por quase 250 mil pessoas, anunciou hoje a Organização Internacional para as Migrações.

"A descoberta de 39 corpos, recuperados na costa líbia, esta semana, aumenta o número de vítimas para 3.034", refere a organização, em comunicado divulgado hoje.

Comparativamente aos primeiros sete meses de 2015, morreram mais 1.117 pessoas desde o início deste ano, naquele que é o número mais elevado de mortes no Mediterrâneo registado num período tão curto.

"Este é o terceiro ano consecutivo em que as vítimas mortais ultrapassam as três mil, mas nunca tinha sido alcançado antes do final de julho, o que é muito alarmante", disse, há dias, o porta-voz da OIM em Genebra, Joel Millman.

Cerca de 90 por cento destas mortes aconteceram na zona central do Mediterrâneo, entre Líbia e Itália.

O principal país de origem dos cerca de 250 mil migrantes e refugiados que arriscaram a vida em barcos sobrelotados e mal equipados é a Líbia, seguindo-se o Egito.

A maioria dos salvamentos marítimos ocorreu no canal da Sicília, ao largo de Itália.

Geralmente, os migrantes e refugiados resgatados são transportados para os portos das ilhas de Sicília e Lampedusa e para as regiões de Calábria e Apúlia, no Sul de Itália.


Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.