sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Política de asilo de Merkel volta a ser alvo de críticas

O aliado político de Angela Merkel no estado da Baviera (sul da Alemanha) distanciou-se hoje novamente da política de acolhimento de refugiados defendida pela chanceler alemã na sequência dos ataques que têm afetado aquele país.

Horst Seehofer, líder do partido-irmão da União Democrata Cristã (CDU) de Merkel na Baviera, afirmou hoje que não partilha da opinião da chanceler de que a Alemanha pode acolher os cerca de 1,1 milhões de migrantes e de requerentes de asilo que chegaram ao país em 2015.

O chefe do governo da Baviera e líder da União Social-Cristã da Baviera (CSU) disse que "mesmo com a melhor das vontades" não pode concordar com tal opção política.

"A situação é muito problemática", referiu o representante, que falava numa reunião do governo regional bávaro em Tegernsee, acrescentando que as soluções assumidas até à data são "muito inadequadas".

Salientando que não deseja iniciar um diferendo com o partido de Merkel, Horst Seehofer defendeu que é importante encarar "a realidade" de frente.

Na quinta-feira, Merkel prometeu que a vaga de atentados no país não irá afetar a sua política de asilo e rejeitou firmemente os apelos para reverter tal opção.

"[Os atacantes] querem pôr em causa o nosso sentido de comunidade, a nossa abertura e a nossa vontade de ajudar pessoas que necessitam", afirmou então a chanceler em declarações à comunicação social em Berlim.

"Rejeitamos isto firmemente", garantiu Merkel, que interrompeu as suas férias de verão a norte de Berlim para falar à imprensa na capital alemã.

A chefe do governo alemão admitiu na mesma ocasião que os recentes ataques registados no país foram "chocantes, opressivos e depressivos", mas rejeitou a ideia de que as autoridades estejam a perder o controlo.

"Eu continuo convencida de que conseguiremos -- é o nosso dever histórico e este é um desafio histórico em tempos de globalização", concluiu.

Os quatro atentados recentes na Alemanha -- um ataque com um machado, um tiroteio, um ataque à facada e um bombista suicida -- causaram 13 mortos, entre os quais três atacantes, e dezenas de feridos.

Um dos ataques ocorreu em Munique, capital do estado federado da Baviera.

Três dos quatro atacantes procuravam asilo e dois dos atentados foram reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.