sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima resgatou 16 migrantes ao largo da costa grega

A Polícia Marítima (PM) resgatou na terça-feira à noite, no mar Egeu, 16 migrantes que se dirigiam numa lancha "pequena e frágil" para a Grécia, adiantou esta força policial, em comunicado.

Depois de ter recebido a informação de que a embarcação se dirigia para a costa grega, a equipa da Polícia Marítima - que se encontra em missão de patrulhamento de fronteiras na ilha grega de Lesbos desde 01 de outubro de 2015 -- "decidiu resgatar todas as pessoas": seis mulheres e 10 homens, "oriundos do Afeganistão, Camarões, Congo e Síria" e a quem foram distribuídas, durante o trajeto no barco da PM, águas, mantas e bolachas.

De acordo com a PM, as 16 pessoas, que seguiam numa lancha de fibra "pequena e frágil", estavam "muito assustadas e nervosas".

A lancha foi rebocada, com todos os pertences dos migrantes a bordo, pela embarcação de uma Organização Não Governamental (ONG) presente no local.

"À chegada ao porto de Skala Sikaminea, onde todos desembarcaram em segurança, já se encontravam elementos da guarda-costeira grega, da agência FRONTEX e de ONG, que ajudaram no desembarque e no controlo de refugiados e emigrantes", refere o comunicado da PM.

A equipa da Polícia Marítima, composta por 11 agentes e dois técnicos, está na Grécia até 30 de setembro integrada na missão da agência europeia FRONTEX, de controlo e vigilância de fronteiras, com o objetivo de combater o crime transfronteiriço.

"A PM já resgatou em segurança, e transportou para terra, 3371 refugiados e emigrantes que corriam risco de vida, dos quais 851 bebés e crianças e 732 mulheres, e deteve cinco facilitadores", de acordo com o balanço mais recente da polícia portuguesa.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.